Doenças “imaginárias”, sofrimento real. Ser hipocondríaco com a covid-19 à espreita

São pessoas que se preocupam tanto com a saúde que acabam por achar que estão doentes. Interpretam com exagero os sinais normais do corpo e dificilmente se sentem tranquilizados com os resultados de um exame ou com as palavras dos médicos. A covid-19 trouxe novos desafios.

medicos,saude,sociedade,servico-nacional-saude,medicina,doencas,
Foto
Gabriel Sousa

Quando era jovem, Cristina (nome fictício) “estava convencida” de que tinha um cancro no estômago. Sentia as dores, os sintomas, o mal-estar prolongado e contínuo de quem está gravemente doente, mas um exame confirmou algo que até nem esperava: não tinha cancro. A angústia de pensar que o tinha desapareceu tão rapidamente como surgira.