Avaliação bancária das casas desacelerou, mas ainda fixou novo recorde em Agosto

Número de avaliações de imóveis diminuiu, mas o valor das casas tem continuado a subir, embora de forma mais moderada.

Valor dos activos imobiliários continua em alta
Foto
Valor dos activos imobiliários continua em alta daniel rocha

O valor mediano de avaliação bancária fixou-se em 1 128 euros por metro quadrado (euros/m2) em Agosto, mais 1 euro que o observado no mês anterior, um valor que representa uma desaceleração em termos homólogos, já que a taxa de variação abrandou de 8,0% em Julho para 7,0% em Agosto. Ainda assim, o novo valor revela novo recorde neste tipo de avaliações realizadas no âmbito de pedidos de crédito.

Em Agosto, os bancos realizam cerca de 22 mil avaliações bancárias, menos 3,2% que no mesmo período do ano anterior, revelou esta segunda-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE). Ou seja, o número de avaliações relativas a novos empréstimos tem vindo a abrandar, mas o valor das casas tem continuado a subir, sem reflectir o impacto da pandemia de Covid-19 na economia em geral.

De acordo com o índice do valor mediano de avaliação bancária do INE, a Área Metropolitana de Lisboa, o Algarve, a Região Autónoma da Madeira e a Área Metropolitana do Porto apresentaram valores de avaliação superiores à mediana do país (34%, 33%, 9% e 1% respectivamente).

As regiões das Beiras e Serra da Estrela e da Beira Baixa foram as que apresentaram os valores mais baixos em relação à mediana do país.

No mês em análise, o valor mediano de avaliação de apartamentos foi de 1 234 euros/m2, aumentando 8,6% relativamente ao mês homólogo. E o valor mais elevado foi observado no Algarve (1 495 euros/m2) e o mais baixo no Alentejo (844 euros/m2).

O Norte apresentou o crescimento mais expressivo (11,3%) e a Região Autónoma da Madeira o único decréscimo (-2,5%).

Comparativamente com o mês anterior, o valor de avaliação subiu 0,4%, tendo o Norte apresentado a maior subida (1,1%) e o Algarve a descida mais acentuada (-2,3%).

Nas moradias, o valor mediano foi de 956 euros/m2, o que representa um acréscimo de 5,4% em relação ao mesmo mês do ano anterior.

Os valores mais elevados neste segmento observaram-se no Algarve (1 577 euros/m2) e na Área Metropolitana de Lisboa (1 529 euros/m2), tendo o Alentejo registado o valor mais baixo (800 euros/m2). A Área Metropolitana de Lisboa apresentou o maior crescimento (8,8%), sendo que a descida mais intensa ocorreu na Região Autónoma da Madeira (-3,8%).

Comparativamente com o mês anterior, o Algarve e a Área Metropolitana de Lisboa apresentaram aumentos (2,5% e 1,1%) sendo que nas restantes regiões se verificaram descidas, a mais acentuada na Região Autónoma dos Açores (-4,1%). Comparando com Julho, os valores das moradias T2, T3 e T4, tipologias responsáveis por 57,2% das avaliações, atingiram os 823 euros/m2 (mais 24 euros), 862 euros/m2 (menos 2 euros) e 946 euros/m2 (menos 19 euros).

Sugerir correcção