Afinal, como é o Barca Velha 2011? Quatro críticos dizem de sua justiça

Chegou ao mercado uma nova colheita do mais icónico vinho português: o Barca Velha. O seu enólogo chamou-lhe “o leão”. Manuel Carvalho, Pedro Garcias, José Augusto Moreira e Edgardo Pacheco já provaram e dão a sua opinião e pontuação.

Foto
Luís Sottomayor, o enólogo do Barca Velha Adriano Miranda

Luís Sottomayor é o enólogo da Sogrape responsável pelo mítico vinho Barca Velha e apresentou o 2011 sem vacilar: “Chegou o leão”. É um vinho que “nasceu um Barca Velha”, sentencia. A revelação do vinho foi repartida por três jantares de lançamento na belíssima Quinta da Leda, no Douro Superior, precisamente onde nasceram as uvas que dão origem à lenda. “É como um leão que anda na savana, não tem medo de nada, é respeitado e sabe que é respeitado, por isso vai a todo o lado sem qualquer problema”, diz Sottomayor sobre o Barca Velha 2011. E o que dirão os críticos?

Sugerir correcção