Benfica responde a Rui Pinto e nega tentativa de influência no processo

“Encarnados” reagiram em comunicado às declarações do hacker à Der Spiegel. Rui Pinto acusou clube de ter tentado influenciar as autoridades húngaras para o alargamento do mandado de detenção europeu.

Foto
Benfica reagiu às acusações de Rui Pinto Reuters/CARL RECINE

O Benfica reagiu, na noite desta quarta-feira, às acusações feitas por Rui Pinto em entrevista à Der Spiegel. Depois de o pirata informático ter acusado as “águias” de ter interferido no seu processo judicial, o clube desmente o denunciante, alegando que não desempenha qualquer papel no processo que terá início esta sexta-feira.

“O Sport Lisboa e Benfica, recorde-se, não ocupa qualquer posição processual no referido processo-crime onde foi emitido o mandado de detenção europeu. O Sport Lisboa e Benfica apenas sabe, pela comunicação social, que o Ministério Público imputa a Rui Pinto o cometimento de 90 crimes, não sendo o Sport Lisboa e Benfica ofendido ou lesado em nenhum desses crimes. Isto é, Rui Pinto começará, na próxima sexta-feira, a ser julgado pela alegada prática de 90 crimes, sem que nenhum desses crimes tenha sido cometido contra o Sport Lisboa e Benfica”, explica o clube.

Esta reacção é motivada pelas declarações do hacker à revista germânica. Rui Pinto coloca em causa a visita do ministro dos Negócios Estrangeiros da Hungria ao Estádio da Luz. O governante terá recebido dois ingressos VIP para o Estádio da Luz, com Rui Pinto a dizer que esta visita coincidiu com o pedido de alargamento do mandado de detenção europeu. Na opinião do denunciante, o timing não foi coincidência, chamando ainda ao clube da Luz – como já tinha feito no passado – um “polvo de influência”.

“Há um pormenor muito importante sobre o qual quero que o público pense. Ao mesmo tempo que as autoridades portuguesas enviavam um pedido às autoridades húngaras para alargar o meu mandado de detenção europeu, o ministro dos Negócios Estrangeiros da Hungria recebeu dois bilhetes VIP para jogos do Benfica e teve encontros no estádio do Benfica. Isto é o Benfica...”

Numa primeira reacção à entrevista de Rui Pinto, fonte do Benfica admitiu ao PÚBLICO que possam ter sido enviados convites a governantes húngaros para assistirem a jogos na Luz, mas garantiu que tal não estava relacionado com Rui Pinto. A mesma fonte disse ainda esta prática [de fornecer ingressos a responsáveis húngaros nas visitas a Portugal] teve início após a morte do jogador húngaro Miklós Fehér, em Janeiro de 2004.

O PÚBLICO apurou junto do Benfica que as visitas de responsáveis húngaros acontecem com alguma regularidade, sendo normal que estes responsáveis participem na viagem incluída no prémio em homenagem ao jogador húngaro. Desde 2009 que uma parceria entre a antiga escola do futebolista em Gyor e o Benfica, premeia os melhores alunos e professores desta escola com uma visita a Portugal. Nessa viagem estão incluídas visitas à Luz e ao Seixal.  

O Ministério Público traça, porém, uma ligação entre Benfica e Rui Pinto, ao acusar o hacker de ser o responsável pela página Mercado de Benfica, um blogue onde foram publicados os emails dos principais dirigentes encarnados, bem como informações judiciais de processos que envolvem as “águias”.

Depois de ser conhecido que cinco processos relativos a Rui Pinto seriam suspensos, os advogados do Benfica procuraram saber se estes processos seriam relativos ao clube, avisando o Ministério Público que essa decisão poderia ser ilegal, visto que que o clube discorda dela e não foi ouvido sobre o assunto.