Rui Pinto é o criador de blogue que divulgava emails do Benfica, acusa MP

Para além de correspondência electrónica das “águias”, página Mercado de Benfica publicou elementos relativos ao processo E-Toupeira. Ministério Público acusa também o hacker de ter roubado informações relativas a classificações de árbitros de servidores da FPF.

,Denunciante
Foto
LUSA/RODRIGO ANTUNES

Para além de ter criado a plataforma Football Leaks, o Ministério Público (MP) acusa o hacker português Rui Pinto de ter sido o mentor do blogue Mercado de Benfica, página na qual foram divulgados ficheiros de vários processos judiciais envolvendo o clube da Luz e correspondência electrónica de dirigentes dos “encarnados”.

O MP escreve que, a 12 de Dezembro de 2017, o gaiense de 30 anos criou a página na plataforma wordpress, afirmando que “a informação e documentação que [Rui Pinto] recolheu do sistema electrónico da [sociedade de advogados] PLMJ servia os propósitos do blogue, na medida em que muita dela se correlacionava com o clube Sport Lisboa e Benfica, e/ou com outros intervenientes mediáticos”.

Ao longo de vários meses, o blogue publicou com regularidade elementos relativos ao processo E-Toupeira, nos quais se incluem as gravações áudio do primeiro interrogatório judicial, bem como vários apensos de buscas a funcionários do Benfica e instalações do clube.

O MP acusa o hacker de ter obtido estas informações de forma ilícita a partir dos endereços electrónicos de advogados da PLMJ, que defendia o Benfica neste processo. Não há qualquer menção, porém, ao modo como foram obtidos os conteúdos das caixas de correio electrónico de membros da SAD benfiquista que seriam publicados nesta página, nem se terá sido Rui Pinto o responsável pela obtenção destes. A caixa de correio electrónica de Domingos Soares Oliveira, administrador-executivo da SAD,​ foi uma das divulgadas nesta plataforma.

Para criar esta página, Rui Pinto terá usado um endereço electrónico registado na plataforma alemã “tutanota”, que encripta o conteúdo dos emails e aumenta a segurança da informação partilhada. Em Abril, na audição do processo cível movido pelo Benfica contra o FC Porto, no qual os “encarnados” pediam uma indemnização de 17,7 milhões de euros por danos causados pela revelação dos emails, o director de comunicação dos “dragões”, Francisco J. Marques, revelou que a correspondência electrónica das “águias” lhe tinha chegado de um endereço registado nesta mesma plataforma.

Depois do encerramento do blogue pela wordpress, o MP afirma que Rui Pinto terá mudado a página para um servidor iraniano, onde voltou a juntar a informação relativa ao Benfica e outros elementos de processos mediáticos

Hacker terá roubado informações sobre árbitros

Outro dos acessos informáticos que o MP detalhou foi um alegado acesso aos servidores da Federação Portuguesa de Futebol (FPF). Rui Pinto terá recolhido “informação que entendia relevante” dos sistemas informáticos do órgão federativo, escreve o MP.

O hacker terá roubado uma lista que continha contactos de árbitros, avaliações dos árbitros de Categoria C1 e C2 e ainda as “classificações de árbitros, árbitros assistentes e observadores de Futebol de Onze e Futsal, referentes à época 2015/2016”, pode ler-se na acusação.

Para além de informações referentes a arbitragem, o hacker terá feito várias pesquisas sobre dados de transferências relativas a jogadores das camadas jovens. O MP refere que o mentor do Football Leaks terá conseguido acesso à caixa de correio electrónico de João Manuel Simões da Rocha, vogal do Conselho de Arbitragem da FPF.

Rui Pinto, autor do site Football Leaks, é acusado de 147 crimes, 75 dos quais de acesso ilegítimo, 70 de violação de correspondência, um de sabotagem informática e um de extorsão na forma tentada.