Quase dois anos a avaliar se vale a pena reparar helicópteros Kamov

Seis meios aéreos pesados estão parados há mais de dois anos e meio e para substituir parte deles o Estado gastou no aluguer de três Kamov, desde 2018, mais de 12,6 milhões de euros.

Foto
Daniel Rocha

Uma auditoria que está a ser realizada pela Força Aérea, pela Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil e pela Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC) para avaliar se vale a pena reparar os seis helicópteros Kamov comprados pelo Estado Português, em 2006, e que se encontram todos parados desde Janeiro de 2018, está há quase dois anos para ser concluída. Não há data prevista para a avaliação ser terminada e tal não parece estar para breve, já que o balanço do que é necessário para as aeronaves voltarem a voar ainda nem sequer começou a ser feito, nem os custos associados a tal.