No país das manifestações e dos abaixo-assinados

Também nos nossos dias há gente a traçar linhas na areia o tempo todo, e a exigir que escolhamos um lado, como se estivéssemos em guerra. E com a escolha do lado vem a exigência de uma longa série de preceitos para a purificação do eu.

Já assinou a última petição? Esteve presente na mais recente manifestação no Largo Camões? Colocou o seu nome no abaixo-assinado? Indignou-se devidamente na rede social mais próxima? Lamentou o regresso do fascismo e a ascensão da extrema-direita em Portugal? Sentiu-se confortado ao ver a manifestação, a petição e o abaixo-assinado noticiados no telejornal? Sentiu-se repugnado por nem todos os portugueses terem princípios tão elevados quanto os seus? Parabéns para si, é uma pessoa magnífica, pode continuar com a sua vidinha, e cantar, como Tom Zé: “Faça suas orações uma vez por dia, e depois mande a consciência, junto com os lençóis, prá lavandaria.”

Sugerir correcção