Entrevista

“A grande diferença é que agora Merkel sabe que o mundo de ontem deixou de existir”

Ivan Krastev diz que a covid-19 obrigou os líderes europeus “a ver o mundo com outros olhos”. Por isso, diz o autor de O Futuro por Contar, “muitas coisas que eram impensáveis há dois meses, são agora possíveis”.

livros,uniao-europeia,angela-merkel,china,alemanha,europa,
Foto
Ivan Krastev Vladimir Gerdo/TASS/Getty Images

O título da sua recentíssima obra sobre os tempos da pandemia não podia ser mais sugestivo: Is It Tomorrow Yet? (O Futuro por Contar, na edição portuguesa da Objectiva, que já está nas livrarias). O que Ivan Krastev quer dizer é que o “mundo avança em todas as direcções”, muitas vezes opostas, permitindo apenas detectar os seus principais paradoxos. O académico búlgaro que dirige o Instituto de Ciências Humanas de Viena e que é o autor de uma pequena obra de 2017 – After Europe -, considerada como uma das reflexões mais estimulantes sobre o futuro da Europa, acredita que, em certa medida, esta crise pode vir a salvar a União Europeia. Matéria para reflexão, enquanto os líderes europeus estão em Bruxelas a decidir sobre o nosso futuro.