Vale a pena ler

Depois da Europa

O seu tema central é a crise da União Europeia, ou as suas múltiplas crises, com o epicentro na questão das migrações, que o autor considera o maior desafio às sociedades europeias.

,União Européia
Foto

Tem pouco mais de uma centena de páginas, foi publicado pela primeira vez em 2017, continua tão actual e tão recomendável como nessa altura. After Europe, do historiador búlgaro Ivan Krastev, ajuda a iluminar todos e cada um dos problemas que hoje a Europa e as suas democracias liberais enfrentam. Foi saudado pela crítica na altura. Ainda não tem tradução em português. O seu tema central é a crise da União Europeia, ou as suas múltiplas crises, com o epicentro na questão das migrações, que o autor considera o maior desafio às sociedades europeias.

As democracias são por definição sistemas inclusivos. “Na era das migrações, a democracia começou a funcionar como um instrumento de exclusão e não de inclusão”. De entre as várias explicações para a crise europeia, das politicas de austeridade ao aumento das desigualdades provocado pela globalização, Krastev destaca a crise migratória como a que teve consequências políticas mais pesadas. “Foi o fracasso do liberalismo perante a resolução do problema das migrações, mais do que a crise económica ou a crescente desigualdade social que explica a viragem da opinião pública contra ele. A crise dos refugiados é a crise primus inter pares – foi uma espécie de 11 de Setembro da Europa”.

Num mundo que, afinal, não toma a Europa como modelo, como nos anos subsequentes à queda do Muro se chegou a admitir, mas que, pelo contrário, se move em sentido contrário: “O nacionalismo étnico e a religião mantêm-se como as forças motoras mais poderosas da política global.” De repente, os europeus não reconhecem o mundo que os cerca.

Krastev termina, no entanto, com uma nota optimista: “Na realidade, as várias crises da União Europeia, muito mais do que quaisquer ‘políticas de coesão’ de Bruxelas, acabaram por ajudar a desenvolver um sentimento de que nós, europeus, somos todos parte da mesma comunidade política.” O autor, para além de dirigir o Center for Liberal Strategies, em Sofia, é investigador do Institute for Human Sciences, em Viena. “After Europe” foi editado em 2017 pela University of Pennsylvania Press, USA.