João Sarmento, jesuíta: “É um retrato superficial da figura do Vieira”

Dois curadores com trabalho ligado à religião e à arte falam sobre a estátua de Vieira.

igreja-catolica,historia,artes,culturaipsilon,lisboa,religiao,
Foto
Rui Gaudêncio

A Brotéria, o centro cultural dos jesuítas que este ano abriu no Bairro Alto, pretende organizar um debate sobre que representação queremos para o Padre António Vieira, diz-nos João Sarmento, um dos padres que vivem nesta casa da Companhia de Jesus e um dos artistas que participaram no concurso público lançado pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa. Será “sem pressa” e quando a pandemia o permitir, diz ainda o responsável pela galeria de exposições temporárias da Brotéria.