Migrantes interceptados no Algarve vão ser presentes a tribunal

Os 22 migrantes, que alegam ser de origem marroquina, vão ser presentes a tribunal para “aplicação de medidas de coação, com vista à instauração de processos de afastamento coercivo por permanência irregular em território nacional”.

Distrito de Faro
Foto
LUSA/LUIS FORRA

Os 22 migrantes, oriundos do Norte de África, que foram detectados ao largo de Quarteira, Faro, vão ser presentes ao Tribunal Judicial de Loulé esta terça-feira para aplicação de medidas de coação, segundo o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

Em comunicado, o SEF adianta que os 22 migrantes, detectados na segunda-feira na praia de Vale de Lobo, no Algarve, serão “presentes ao Tribunal Judicial de Loulé para aplicação de medidas de coação, com vista à instauração de processos de afastamento coercivo por permanência irregular em território nacional”.

Os 22 migrantes, todos do sexo masculino, estiveram sempre à guarda do SEF, que, ao longo do dia de segunda-feira, tentou apurar as suas identidades, uma vez que chegaram sem documentos. O SEF salienta ainda que aos “cidadãos, interceptados pela Polícia Marítima, foram, sempre garantidas as necessidades básicas, incluindo alimentação e assistência médica”.

O grupo foi transferido na noite passada para postos da Guarda Nacional Republicana (GNR) e esquadras da Polícia de Segurança Pública (PSP) do distrito de Faro, onde pernoitaram.

Uma embarcação com 22 homens, alegadamente de origem marroquina, foi interceptada na segunda-feira de madrugada quando os tripulantes se preparavam para desembarcar na Praia de Vale do Lobo, no Algarve, disse o comandante da Zona marítima do Sul.

Segundo Fernando Rocha Pacheco, a pequena embarcação, com sete metros de comprimento, foi avistada pelas 4h por um mestre de pesca, que a considerou suspeita por estar “carregada de gente”, avisando as autoridades. Os 22 ocupantes da embarcação “alegam ser marroquinos” e terão partido da cidade de El-Jadida, em Marrocos, com destino a Portugal, acrescentou a mesma fonte.

Após o alerta, elementos da Polícia Marítima de Faro e da Estação Salva-vidas de Quarteira iniciaram buscas por mar e por terra, tendo detectado e interceptado a embarcação às 4h50, quando os tripulantes “já se preparavam para desembarcar”.

Os 22 homens foram depois encaminhados para a Estação Salva-vidas de Quarteira, fazendo esse percurso “na própria embarcação” onde foram assistidos, fornecida roupa e testados à covid-19 pelo Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

Não é a primeira vez este ano que embarcações com imigrantes são interceptadas ao largo do Algarve. Em Janeiro, uma embarcação com 11 imigrantes marroquinos foi interceptada em Olhão. A 6 de Junho foi encontrada outra embarcação, também perto de Olhão, com sete pessoas a bordo. Em Dezembro, desembarcaram na praia de Monte Gordo oito jovens de origem marroquina, vindos de El Jadida.

Sugerir correcção