“O Presidente dos EUA deve ser parte da solução e não o problema”, disse Biden

Candidato democrata às eleições presidenciais nos EUA fez um discurso para criticar actuação de Trump na crise dos protestos por causa da morte de George Floyd por um polícia.

estados-unidos,racismo,eua,protestos,mundo,america,
Foto
Joe Biden: “Pode-se acreditar que o Presidente está mais interessado no poder do que nos princípios” Reuters/JOSHUA ROBERTS

Joe Biden prometeu sarar as feridas das divisões raciais na América e considerou falta de liderança a resposta que o Presidente Donald Trump tem dado à vaga de protestos contra o racismo e má conduta da polícia após o assassínio do afro-americano George Floyd. “O país está desesperado por liderança, uma liderança que nos consiga unir”, afirmou o candidato do Partido Democrata às eleições presidenciais de Novembro.

No seu primeiro discurso em muitas semanas, feito em Filadélfia – uma das cidades mais abaladas por manifestações violentas nos últimos dias –, o ex-vice-presidente de Barack Obama tentou traçar uma linha do mais vívido contraste entre si e Trump, que espera enfrentar nas eleições de 3 de Novembro. 

“O Presidente dos Estados Unidos deve ser parte da solução e não o problema. Hoje, o Presidente é parte do problema e acelera-o”, afirmou Biden, que se apresenta como um candidato que compreende os problemas da comunidade afro-americana. Donald Trump anunciou, na segunda-feira, que tenciona mobilizar o exército para travar os protestos, muitas vezes violentos, se os presidentes de câmaras e os autarcas e governadores não reagirem “agora”.

O assassínio de George Floyd por um polícia de Mineápolis na semana passada deve ser “um alerta” para que a nação enfrente a mancha do racismo sistémico, declarou Joe Biden. “Não podemos pensar que este momento vai passar sem que façamos nada, mais uma vez”, afirmou o político democrata. “Não podemos fazer isso.”

A visita de Donald Trump à histórica igreja de São João, mesmo em frente à Casa Branca, conhecida como a “igreja dos Presidentes”, para fazer uma sessão de fotos com a bíblia na mão, precedida do avanço da polícia com gás lacrimogéneo para fazer dispersar os manifestantes, foi especialmente criticada por Biden.

“Pode-se acreditar que o Presidente está mais interessado no poder do que nos princípios”, comentou Biden, que acusou Trump de “servir as paixões” da sua base política conservadora, em vez de servir o país.

Sugerir correcção