Oito universidades europeias ganham três milhões de euros para meteorologia espacial

sol,ciencia,fisica,espaco,astrofisica,
Foto
o nosso Sol ESA

Um programa de doutoramento em meteorologia espacial estabelecido por oito universidades e empresas acaba de receber um financiamento europeu de três milhões de euros, anunciou a Universidade de Coimbra, que integra o consórcio.

“Oito universidades europeias e empresas juntaram-se para estabelecer um programa de doutoramento único em meteorologia espacial (space weather) na Europa, no âmbito do projecto Swanet (Space Weather Awareness Training Network), que acaba de conquistar três milhões de euros de financiamento do programa Horizonte 2020 (Marie Sklodowska-Curie Innovative Tarining Newtworks)”, revela em comunicado a Universidade de Coimbra, que participa no consórcio, através dos departamentos de Física e de Matemática e do Centro de Investigação da Terra e do Espaço da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC).

O Swanet, com a duração de quatro anos, vai centrar-se na formação da próxima geração de investigadores em meteorologia espacial e física solar, combinando investigação e transferência de conhecimento para benefício da sociedade, tendo em conta que a área de meteorologia espacial tem um forte impacto em sectores económicos como a aviação, sinais de GNSS (Sistemas Globais de Navegação por Satélites) e redes eléctricas, entre outros.

“Os jovens investigadores vão frequentar um programa doutoral na universidade para a qual se candidatam, mas a investigação para a tese de doutoramento inclui intercâmbio entre as universidades envolvidas no consórcio e as empresas”, refere a universidade portuguesa.

Para além da formação no programa doutoral, a equipa da FCTUC vai também ser responsável pelo “desenvolvimento de novos métodos de análise da actividade solar, que permitam monitorizar a actividade do Sol que poderá beneficiar determinados sectores económicos”, sustenta Teresa Barata, coordenadora do projecto em Portugal.

A investigadora sublinha que “desde há cerca de oito anos que a investigação” se tem “centrado na meteorologia espacial e no seu impacto na sociedade” e que esta investigação “é consequência do vasto espólio que a Universidade de Coimbra tem de observações solares e magnéticas”.

“Trata-se de uma área de investigação recente, principalmente em Portugal, e este projecto para nós tem elevada importância, não só porque teremos financiamento para ter jovens investigadores a frequentar um programa doutoral da Universidade de Coimbra, como também nos permite, enquanto investigadores, integrar uma equipa de cientistas de reconhecido mérito internacional”, destaca ainda Teresa Barata no comunicado.

Além da Universidade de Coimbra, fazem parte do consórcio as universidades de Helsínquia e Turku (Finlândia), de Eotvos Lorand (Hungria), de Lovaina (Bélgica), de Roma Tor Vergata (Itália) e Marie Curie (Polónia), bem como a Academia de Atenas da Grécia. A empresa portuguesa envolvida no consórcio é a tecnológica Present Tecnhologies.

Sugerir correcção