Livraria Lello reage às declarações de J. K. Rowling e convida autora a visitar o espaço

Na semana passada, J. K. Rowling revelou que nunca esteve na Livraria Lello, a livraria que os fãs de Harry Potter julgavam ter servido de inspiração para as escadarias em madeira da escola de magia e feitiçaria de Hogwarts.

harry-potter,jk-rowling,literatura,culturaipsilon,livros,porto,
Foto
Livraria Lello, no Porto Marco Duarte

Mais de uma semana depois de J. K. Rowling, a autora da saga Harry Potter, ter referido que nunca visitou a Lello, a famosa livraria portuense reagiu neste sábado às declarações através de uma carta aberta “a alguém que nunca visitou a Livraria Lello (mas gostaria de o ter feito)”.

Numa publicação na rede social Facebook, o espaço emblemático da cidade do Porto salienta que foram os seus leitores e clientes “que fizeram desta livraria uma obra aberta”. Fazendo referência a Umberto Eco, o comunicado lembra que “pela história da livraria passaram escritores de todos os tempos, géneros, línguas e nacionalidades”, incluindo o autor de O Nome da Rosa.

“Ao visitar a Livraria Lello, milhões de leitores de J. K. Rowling descobriram também o universo de Harry Potter e ninguém os pode impedir desse espanto mágico. Declarando que quando viveu no Porto não sabia da existência da Livraria Lello, J. K. Rowling fornece elementos para a sua autobiografia, reconhece que a Livraria é muito bonita e confessa ainda que desejaria (I wish I had) tê-la visitado”, refere a nota, na qual a administração da livraria “agradece a simpatia a J.K. Rowling” e convida a autora britânica “a cumprir esse desejo recíproco com o mesmo espírito com que a cidade de Liverpool recebeu os Beatles depois de eles se terem tornado famosos em Londres”.

“Embora Tchaikovsky nunca tenha passado pelo Porto, sabemos que J. K. Rowling ouviu muito a sua música quando viveu na nossa cidade. Não será, por isso, excessivo concluir que o Tchaikovsky que a partir de agora se ouvirá na Livraria Lello às cinco da tarde continuará a inspirar quem sonha com Hogwarts na famosa escadaria da livraria”, conclui ainda a extensa nota, que faz referência a várias personalidades do mundo literário.

A 21 de Maio, a escritora J. K. Rowling revelou que nunca esteve dentro da Livraria Lello, a livraria que os fãs de Harry Potter julgavam ter servido como inspiração para as incontornáveis escadarias em madeira da escola de magia e feitiçaria de Hogwarts. “Nem sabia que ela existia! É linda e quem me dera ter podido visitá-la, mas não tem nada a ver com Hogwarts!”, assinalou, numa publicação no Twitter.

A autora, que viveu no Porto durante um breve período de tempo, no início dos anos 1990, pretendeu desmistificar alguns mitos associados a “alegadas inspirações” da saga com a qual se tornou conhecida. Contudo, horas mais tarde da polémica revelação, J. K. Rowling partilhou uma fotografia do Café Majestic, acrescentando: “Se isto anima as pessoas que ficaram desiludidas com a notícia da livraria, eu escrevi aqui às vezes. É provavelmente o café mais lindo onde já escrevi, na verdade.”

Sugerir correcção