Costa destaca português como instrumento privilegiado da globalização

Primeiro-ministro assinala importância política, cultural e económica da língua portuguesa

,Ministro
Foto
A língua portuguesa é a pátria de muitas pátrias, descreveu o primeiro-ministro LUSA/JOÃO RELVAS

O primeiro-ministro de Portugal, António Costa, considerou esta terça-feira o português uma “língua para o futuro” e um “instrumento privilegiado” para a globalização, numa mensagem alusiva ao Dia Mundial da Língua Portuguesa que se assinala pela primeira vez.

“Fruto dos descobrimentos, mestiçou-se com outras línguas do mundo, mas é também uma língua para o futuro servindo de instrumento privilegiado para a globalização dos nossos dias”, escreve António Costa, notando que é a quarta língua mais falada no mundo.

A mensagem do chefe do Governo português é uma das que integra a cerimónia online que assinala esta terça-feira o primeiro Dia Mundial da Língua Portuguesa, juntando mais de duas dezenas de personalidades lusófonas da política, letras, música ou desporto.

Citando estimativas de que apontam para que o português atinja 380 milhões de falantes em 2050 e no final do século quase 500 milhões, Costa destacou o potencial de um idioma hoje falado por mais de 260 milhões de pessoas e língua oficial ou de trabalho de 32 organizações internacionais.

“O potencial económico é vasto, assume-se como um factor de competitividade, quer como língua de cultura e conhecimento, quer como língua de política e de negócios, quer ainda como importante veículo na internet e nas redes sociais”, destacou.

Para António Costa, “a dispersão geográfica da lusofonia, a diversidade cultural dos seus povos e a complementaridade das suas economias constitui uma força” num espaço onde a língua portuguesa “serve de ponte entre continentes”.

“A língua portuguesa é hoje a pátria de muitas pátrias porque é em português que se entendem e cooperam os países que a tem como idioma oficial”, disse.

A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) declarou, em Novembro do ano passado, 5 de Maio como Dia Mundial da Língua Portuguesa, mediante proposta de todas as nações lusófonas apoiada por mais 24 Estados, incluindo países como a Argentina, Chile, Geórgia, Luxemburgo ou Uruguai.

Lusa/Fim

Sugerir correcção