Covid-19: Falta de turistas pode forçar regresso a défice comercial

Num cenário inédito de quebra da procura em todo o mundo, os efeitos nas balanças comerciais dos países dependem da sua estrutura produtiva. No caso de Portugal, aquilo que acontece em sectores com o turismo e têxteis é decisivo.

Foto
rui gaudencio

Depois de, em 2019, Portugal ter conseguido à tangente alargar para sete o número de anos consecutivos com excedente na balança comercial de bens e serviços, em 2020, na sequência do efeito da pandemia do novo coronavírus, isso já não deverá ser possível. Num cenário de forte contracção da economia, as vendas de bens e serviços para o estrangeiro deverão cair mais do que aquilo que é importado, fazendo o saldo comercial português regressar para terreno negativo, algo que já não acontece desde 2012, o primeiro ano completo da ajuda internacional e da intervenção da troika.