Agências de viagens de aventura juntam-se para redescobrir Portugal

Landescape convidou as restantes agências de viagens de aventura para o ciclo de conversas “O Mundo num País”. No Facebook entre 27 de Abril e 15 de Maio.

Foto
Michele Marri/Unsplash

Com o levantamento de algumas medidas de restrição em cima da mesa, as principais agências de viagens de aventura portuguesas juntam-se em torno de um objectivo comum. Antes de saber se vamos mesmo precisar de um passaporte de saúde — ou mesmo de um gestor de covid-19 quando formos à praia —, estes agentes, habituados a explorar o planeta, acreditam que é por Portugal que todos devemos começar a viajar.

“Das paradisíacas praias da Costa Vicentina, às imensas paisagens áridas do Alentejo, da gastronomia minhota aos trilhos de pastores que a Serra da Peneda Gerês esconde, das lagoas naturais da Serra D'Arga à beleza estrema das nossas ilhas, vamos trazer juntos o mundo ao nosso país e queremos fazê-lo na companhia daqueles que em breve queremos voltar a abraçar, a nossa comunidade de viajantes.”

É a partir desta premissa que a Landescape, agência de viagens sediada precisamente em Ovar, uma cidade cercada durante um longo período, promove o ciclo de conversas “O Mundo num País” a partir de segunda-feira, dia 27 de Abril, que se estende até 15 de Maio, sempre pelas 19h. Serão no total 15 conversas, com 30 oradores, que estarão em directo de segunda a sexta na página de Facebook da agência.

“Hoje com o abrandamento das medidas de confinamento social à vista, a luz ao fundo do túnel parece finalmente começar a emergir”, lê-se em comunicado da Landescape.

Esta iniciativa conta com a colaboração de algumas agências (Fotoadrenalina, Magellan Route, Nomad, Papa LéguasThe Wanderlust e Leva-me Tours), assim como dos líderes de viagens Hugo Lima e Jorge Vassallo. Todos têm um objectivo comum: “Voltar a descobrir o mundo juntos. E vamos começar precisamente pelo nosso pequeno mas diverso Portugal, revelando alguns dos locais mais belos que podemos e devemos explorar assim que nos seja devolvida a liberdade.”

PÚBLICO -
Foto

As conversas terão a duração de uma hora e o público que assiste pode interagir com questões colocadas através daquela rede social.

“Queremos ver os dois lados de uma mesma história: a que nos leva a partir, mas também a que nos obriga a ficar. Queremos sonhar com o cruzar de fronteiras mas não desesperar enquanto as fronteiras não nos permitem passar”, sublinha Rafael Polónia, mentor da Landescape.

“Queremos explorar paisagens desconhecidas mas temos também vontade de redescobrir as que nos estão mais próximas. Queremos ouvir outros idiomas, mas queremos aprofundar o nosso próprio. Queremos saber dos outros lá longe mas na verdade, nunca tivemos tanta necessidade de saber de nós próprios. Vamos trazer o mundo para dentro de um só país: Portugal.”

Sugerir correcção