A experiência do ensino à distância: “E pensávamos nós que íamos ter mais tempo livre!”

O 3.º período começou de forma diferente dos outros anos. Alunos e professores adaptam-se a um ensino à distância forçado e a várias velocidades. O que daqui resultar “vai depender muito dos professores”.

Foto
Filipe Miranda começa esta quarta-feira a ter aulas por videoconferência às disciplinas nucleares Adriano Miranda

Jaime Denissen promete ligar “mal acabe a aula”, o que não tardará mais do que uma dezena de minutos. Do outro lado da linha, descreve como foi a hora anterior: a professora de Matemática “esteve mesmo a dar matéria”. Em videoconferência com toda a turma do 11.º ano da Secundária Júlio Dinis, em Ovar, tentou explicar os conteúdos enquanto, no ecrã partilhado, resolvia os exercícios.