Socorro, o que fazer com o cabelo e as unhas em tempo de quarentena?

Os cabeleireiros e salões de beleza encerraram, mas o cabelo continua a crescer e as unhas de gel precisam de manutenção. Como se pode tratar de tudo em casa?

Foto
Com os cabeleireiros e salões de beleza fechados, as alternativas têm de ser encontradas em casa Tiago Lopes

Depois do estado de emergência declarado, os estabelecimentos ligados ao sector da cosmética encerraram. Alguns chegaram a fechar ainda antes, por falta de clientes. É o caso da Lúcia Cabeleireiros, no Porto, conta Francisco Rodrigues, cabeleireiro e filho da proprietária. “No último dia só tive duas clientes.” 

Sem data garantida para o fim do surto de covid-19, alguns problemas podem começar a surgir. Uns por falta de manutenção, como as unhas de gel ou acrílico e as madeixas e colorações. Outros por aborrecimento e necessidade de mudar o visual. 

Não arranque as unhas de gel 

Normalmente, a manutenção das unhas de gel deve ser feita de três em três semanas. “Depois há algumas clientes que roem as unhas, fazem mais ou menos de 15 em 15 dias. Há ainda as clientes que aguentam um mês, porque tratam muito bem das unhas”, explica Jordana Pinto, técnica de unhas de gel que integrou a equipa campeã da Nailympion Porto 2019.

No salão onde trabalha, Le Opazo, no Marquês, Porto, tem aconselhado os clientes a limar as unhas consoante vão crescendo. É essencial ter esse cuidado, ou a unha pode acabar por partir ou “fazer um levantamento” perto da matriz, o que irá danifica-la, não voltando a crescer de forma regular.

No salão Joana Macedo, em Canelas, Gaia, o mesmo conselho é dado. Outra opção disponível é retirar com algodão embebido em álcool, pressionado durante bastante tempo e depois limar o que resta. No entanto, nenhuma das profissionais recomenda esse tratamento, porque a unha ficará mais fraca.

“Ao fazer a aplicação numa unha ‘virgem’ retiramos a gordura da unha para o gel ou acrílico aderir melhor, é só limar um bocadinho. Quando as clientes arrancam as unhas em casa podem arrancar demasiadas camadas da unha, danificando-a”, explica Jordana Pinto.

O melhor é ser paciente e ir limando enquanto cresce. Para fortalecer as unhas pode utilizar vernizes de vitaminas ou endurecedores.

Pontas espigadas e falta de corte

Para Joana Macedo, cabeleireira, cortar o cabelo em casa não é grave porque “o cabelo volta a crescer e há pessoas que têm muito jeito”. Existem vários tutoriais na Internet de cabeleireiros que ensinam a fazer todo o tipo de cortes, desde um corte mais básico a looks mais arrojados e, também, mais complicados de fazer sozinho.

Se quer cortar as pontas espigadas, deve usar uma tesoura bem afiada e ter um bom olho, dizem os profissionais. Para retirar só as pontas espigadas, corte o mínimo possível. No entanto, mudanças de visual mais drásticas não são aconselhadas.

“É muito chato estar a dar dicas para cortar o cabelo em casa porque há muitos vídeos na Internet de pessoas a cortar, por exemplo, e quando acaba o corte está todo mal feito. É melhor aguentar e esperar” defende o cabeleireiro Francisco Rodrigues.

Aparecem os cabelos brancos

No que toca a colorações, as opções em qualquer supermercado são vastas tanto em cores como em marcas, mas os especialistas avisam que o resultado pode não ser o pretendido e pode até danificar o cabelo, já que os cabeleireiros trabalham com produtos de linhas profissionais e as tintas de supermercado duram “pouco mais de um mês”, diz Francisco Rodrigues.

“São trabalhos mais cuidados, morosos e necessitam de conhecimento profissional. Ao fazer madeixas em casa, por exemplo, as clientes podem danificar o próprio cabelo, podem queimá-lo com a descoloração”, avisa o cabeleireiro.

Rudy Marques, cabeleireiro no MagikHair, na Boavista, Porto, partilha da mesma opinião: “Se não sabem fazer a fórmula vão manchar os cabelos, que podem ficar esverdeados ou alaranjados, o que depois vai dificultar o trabalho do profissional.”

O cabeleireiro vai mais longe e diz que explicar como pintar o cabelo em casa é “o mesmo que um dentista explicar como arranjar uma cárie em casa”. No entanto, há sempre uma solução. Por exemplo, se o problema são as raízes a aparecer ou as brancas a notarem-se, recomendam produtos como o Hair Touch Up da L’Oréal, à venda no supermercado, para retocar e disfarçar.

Alimentar o cabelo

A melhor forma de aproveitar a quarentena é “dar descanso” ao cabelo dos químicos, “deixá-lo respirar e dar-lhe comida”, aconselha Rudy, que faz tutoriais de tratamentos caseiros, como hidratações, na página do Facebook do Magikhair. Desta forma, o cabelo estará mais saudável quando os cabeleireiros reabrirem.

Francisco Rodrigues aconselha o mesmo, seja com receitas caseiras ou champôs e máscaras próprias para cada tipo de cabelo.

Texto editado por Bárbara Wong

Sugerir correcção