Futre lamenta morte de Radomir Antic, uma “lenda do futebol”

O treinador sérvio faleceu nesta segunda-feira em Madrid, vítima de doença prolongada.

DR
Foto
DR

O antigo jogador português Paulo Futre lamentou o desaparecimento do treinador sérvio Radomir Antic, que faleceu nesta segunda-feira, classificando-o de “lenda do futebol”, enquanto Real Madrid e Barcelona expressaram condolências.

“Radomir Antic deixou-nos aos 71 anos. Não tenho palavras para esta lenda eterna do Atlético de Madrid e do futebol. As minhas condolências à família. Descanse em paz, senhor”, transmitiu Paulo Futre, nas suas redes sociais.

Como treinador dos “colchoneros”, Antic foi o grande responsável por “resgatar” Futre de reforma, que, depois de ter anunciado o fim da carreia ao serviço dos ingleses do West Ham, devido a problemas num joelho, deixou-se convencer pelo técnico, voltando então ao activo para fazer meia época, em 1997.

Antes, o Atlético de Madrid tinha anunciado o falecimento de um “treinador lendário que permanecerá para sempre nos corações” “rojiblancos”.

Também o Real Madrid manifestou uma “grande consternação” pela morte de Antic, que orientou os madrilenos de Março de 1991 a Janeiro de 1992, expressando “as mais profundas condolências à família e amigos”.

O rival Barcelona, treinado pelo sérvio em 2003, juntou-se às mensagens de condolências de “um homem muito querido pelo mundo do futebol”.

Por sua vez, o ex-guarda-redes espanhol Iker Casillas, que representou o Real Madrid e FC Porto, recorreu igualmente às redes sociais para se despedir do único técnico que orientou Atlético Madrid, Real Madrid e FC Barcelona.

“Mais um dia em que tenho de dar as condolências a todas as famílias que estão a perder um ente querido. Lembro-me também da família e amigos de Radomir Antic. Muito incentivo e força!”, escreveu o espanhol.

Antic, nascido em Zitiste, na Sérvia, em 22 de Novembro de 1948, conseguiu a “dobradinha” (Liga espanhola e Taça do Rei de Espanha) em 1995/96 ao serviço do Atlético Madrid, que orientou em 189 jogos oficiais (144 para a Liga, 22 para a Taça do Rei, 13 da UEFA, dois da Supertaça de Espanha) durante cinco épocas.

O técnico sérvio, “colchonero” de 1995/96 a 1999/2000, converteu-se num dos mais prestigiados da história do clube, sendo o quarto com mais jogos oficiais e um dos mais queridos dos adeptos que cantavam em coro “Radomir, queremos-te” de cada vez que a equipa actuava no “velhinho” Vicente Calderón.

Antes de passar pelo Atlético, Antic foi técnico do Saragoça (1988/89 e 1989/90), Real Madrid (1990/91 e 1991/92), Oviedo (1992/93 a 1994/95) e, depois, de novo no Oviedo (2000/01), FC Barcelona (2002/03) e Celta de Vigo (2003/04).

Depois de deixar Espanha, ainda orientou a selecção da sua Sérvia (2008/10), sendo eleito o técnico do ano em 2009, e dois clubes chineses, o Shandong Luneng (2012/13) e o Hebei China Fortune (2015).

Sugerir correcção