Nova Iorque recebe máscaras e luvas chinesas para ajudar na falta de equipamento

Director do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas diz que Estados Unidos podem ter entre 100 mil a 200 mil mortes no pior cenário possível.

Foto
Os hospitais de Nova Iorque estão a começar a ficar sobrecarregados STEFAN JEREMIAH/Reuters

Um avião com toneladas de material médico proveniente da China chegou este domingo a Nova Iorque, uma ajuda que o estado está desesperadamente necessitado. O presidente da câmara, Bill de Blasio, diz que a cidade tem uma semana de consumíveis médicos para cuidar de quem está doente, quando o número só na Big Apple chegou a 33.700, mais de metade do valor em todo o estado.

O estado de Nova Iorque é o mais atingido, mas em todos os Estados Unidos há agora 135.738 pessoas que deram positivo no teste de despistagem do coronavírus, transformando os EUA no país com mais casos do mundo. Morreram pelo menos 2391 pessoas. O governador Andrew Cuomo prolongou até 15 de Abril a ordem para os nova-iorquinos ficarem em casa.

Os Estados Unidos podem vir a ter, no pior cenário, entre 100 mil a 200 mil mortos e milhões de pessoas infectadas por coronavírus, anteviu Anthony Fauci, director do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas, numa entrevista à CNN. Fauci terá convencido o Presidente Donald Trump a não decretar a quarentena obrigatória para os estados de Nova Iorque, Nova Jérsia e Connecticut, como tinha avançado no sábado.

O aumento exponencial de casos em Nova Iorque levou Trump a equacionar seriamente a imposição de quarentena, mas especialistas de saúde alertaram que teria pouco resultado nesta altura da epidemia. O Presidente recuou na ideia e concordou que o conselho para os habitantes de Nova Iorque “evitarem todas as viagens não essenciais” teria mais resultados. 

Os hospitais do estado de Nova Iorque estão a ficar sobrelotados e o equipamento médico, como máscaras e ventiladores, começou a escassear

Foi por isso que aterrou este domingo, no aeroporto John F. Kennedy, um avião com toneladas de luvas e máscaras provenientes da China. Foi o primeiro de 20 voos programados para transportar material médico adquirido na China através de uma parceria entre empresas privadas e o Governo federal.

“Por ordem do Presidente, formámos uma parceria sem precedentes entre público e privado para garantir que grandes quantidades de máscaras e outro equipamento de protecção individual sejam trazidos de imediato para os Estados Unidos, para melhor equipar os nossos profissionais de saúde que estão na linha da frente”, disse em comunicado Jared Kushner, genro de Trump e responsável pela operação comercial. 

Espera-se ainda que um navio hospital da Marinha americana, com capacidade para tratar mil pessoas, chegue a Nova Iorque, aliviando um pouco a pressão sobre os hospitais. 

Sugerir correcção