Coronavírus: Angola regista primeiras duas mortes, entre elas um homem residente em Portugal

Um dos cidadãos, de 59 anos, residente habitual em Portugal, tinha chegado a Angola no dia 12 de Março.

Foto
LUSA/AMPE ROGERIO

Angola registou as duas primeiras mortes relacionados com o novo coronavírus. O número de casos positivos subiu para sete, anunciou a ministra da Saúde, Silvia Lutucuta, no domingo, 29 de Março.

Os dois cidadãos angolanos morreram no sábado, 28 de Março, indicou a governante, numa conferência de imprensa em Luanda, capital do país.

Um dos cidadãos, de 59 anos, residente habitual em Portugal, tinha chegado a Angola no dia 12 de Março. “Esteve internado nos últimos dias na clínica Girassol e teve um quadro com uma evolução muito rápida, com insuficiência respiratória”, precisou Silvia Lutucuta, explicando que o paciente tinha outras doenças associadas.

O segundo caso, um homem de 37 anos, angolano, residente em Luanda, chegou de Lisboa no dia 13 de Março e esteve internado uma semana.

Sílvia Lutucuta afirmou que foram processadas até este domingo 370 amostras com sete resultados positivos, estando 21 em processamento.

A ministra da Saúde adiantou que está a ser feito um “rastreio em massa dos viajantes provenientes de voos de risco” que se encontram nos centros de quarentena. O trabalho já foi concluído no centro de Calumbo II, está a ter continuidade no Calumbo I e será feito também em breve no centro de Victoria Garden.

Neste momento encontram-se em quarentena institucional, em todo o país, 1089 pessoas, das quais 547 na província de Luanda. “Continua a observância do estado de emergência”, salientou a responsável da pasta da Saúde, voltando a apelar para a consciencialização dos angolanos, para que seja feito desde já o corte da cadeia de transmissão.

“Ficar em casa é a melhor solução”, destacou.

Sugerir correcção