Desporto ataca pandemia através de leilões e doações

Liga portuguesa, Roger Federer, Sergio Ramos, Real Madrid, Roma e clubes ingleses unem-se na luta contra o coronavírus.

Fotogaleria
LUSA/LUKAS COCH
,Liga dos Campeões UEFA
Fotogaleria
LUSA/PAOLO MAGNI
Fotogaleria
Reuters/JUAN MEDINA

O desporto não dá tréguas à pandemia que ameaça paralisar o planeta, surgindo a cada dia novas iniciativas que passam por angariações, leilões e doações com vista a apetrechar os hospitais e a mitigar o sofrimento dos cidadãos, em particular dos mais susceptíveis à voracidade do novo coronavírus.

A Fundação do Futebol da Liga portuguesa vai leiloar equipamento desportivo para angariar fundos para a aquisição de material hospitalar para combater a pandemia de covid-19.

“Este leilão solidário avança com o objectivo de adquirir equipamentos de protecção médica, nomeadamente máscaras, luvas e batas”, informa o organismo, em comunicado.

O projecto “Stop Covid-19” vai ter em leilão bolas e camisolas autografadas por atletas dos semifinalistas da Taça da Liga, nomeadamente do Sp. Braga, FC Porto, Sporting e V. Guimarães.

“A Fundação do Futebol – Liga Portugal associa-se à luta na pandemia da covid-19 e ao combate diário desenvolvido pelos profissionais de saúde que estão na linha da frente e irá contribuir e apoiar”, explica, em iniciativa conjunta com a eSolidar e Movimento Tech4Covid19.

A gestão do valor angariado é da responsabilidade da GoParity e a distribuição destes materiais ficará a cargo da Tech4Covid19, “que apenas actuará segundo indicações da Direção-Geral da Saúde”.

Por todo mundo, multiplicam-se as acções de solidariedade, com o tenista Roger Federer a doar um milhão de francos suíços (cerca de 945 mil euros) para ajudar famílias suíças carenciadas que estejam a sofrer as consequências da pandemia de covid-19.

“Estamos a viver tempos difíceis. Todos nós. E ninguém deve ficar para trás. Mirka (sua mulher) e eu decidimos doar, a título pessoal, um milhão de francos às famílias mais desfavorecidas da Suíça. A nossa contribuição é apenas o começo. Esperamos que outros se juntem a nós. Juntos, podemos superar esta crise”, escreveu Federer na conta oficial da rede social Instagram.

O recordista de títulos do Grand Slam  e antigo número um mundial, de 38 anos, conquistou 20 torneios do Grand Slam e soma mais de 100 títulos em toda a carreira, como uma medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008.

Real Madrid contribui com máscaras

No futebol, Sergio Ramos coordenou a angariação de material médico destinado aos hospitais. A contribuição da “família” do Real Madrid para o combate ao novo coronavírus em Espanha inclui 15.000 kits de detecção da covid-19, mil equipamentos de protecção individual e 364.571 máscaras.

“Sou embaixador da Unicef desde 2014 e depois de entrarmos em contacto com eles, comprometeram-se a levar os suprimentos médicos aos hospitais”, anunciou no programa televisivo El Hormiguero.

Os jogadores do Real Madrid estudaram a maneira mais directa de ajudar, como informaram algumas fontes do clube contactadas pela agência Efe, e a urgência de suprimentos médicos nos hospitais levou à escolha de doações através do Unicef.

“Fizemos uma doação muito importante, que chegará a Espanha na sexta-feira”, acrescentou.

Sérgio Ramos agradeceu a colaboração dos companheiros de equipa do Real Madrid e recordou a necessidade de “apoiar e ajudar” o país, que está “a passar por momentos muito difíceis e anormais”, e que tem “muitas pessoas em grande sofrimento”.

A Espanha é o segundo país com mais mortes (3434) devido à pandemia até esta quarta-feira.

Comida para sócios idosos

Em Itália, a AS Roma distribuirá comida e material de protecção aos seus sócios com mais de 75 anos, segundo anunciou a fundação do clube romano, cuja equipa de futebol é treinada pelo português Paulo Fonseca.

“A partir de sexta-feira, a Roma distribuirá a todos os seus sócios com mais de 75 anos uma caixa com comida e bens de primeira necessidade e dispositivos sanitários úteis, para se protegerem neste período de emergência da covid-19” refere um comunicado publicado pelo clube.

A distribuição será feita pela fundação do clube, Roma Cares, que assim apoiará uma das faixas etárias mais vulneráveis à pandemia da covid-19, que já causou mais de 6.800 mortos em Itália.

A iniciativa junta-se uma série de outras já anunciadas por outros clubes, como a Juventus, onde alinha o português Cristiano Ronaldo, o Inter Milão, o AC Milan, de Rafael Leão, e o Nápoles.

Bilhetes para jogos

Dentro do mesmo espírito, os clubes ingleses Brighton e Bournemouth estão a promover uma campanha junto de outros clubes da Liga inglesa para oferecerem 100.000 bilhetes para jogos aos profissionais do sistema de saúde que combatem a pandemia de covid-19.

A iniciativa partiu do Brighton, que pretende entregar aos trabalhadores do sistema nacional de saúde 1000 bilhetes para jogos, apelando que outros clubes, da Liga, das divisões inferiores, da Escócia e da Irlanda do Norte, façam o mesmo.

Um apelo a que o Bournemouth respondeu de imediato, com uma oferta “mínima” de também 1.000 bilhetes.

“Sentimos que é um pequeno gesto, com o qual demonstramos a nossa gratidão ao pessoal do serviço nacional de saúde (NHS), que está na linha da frente a combater, em nome de todos nós”, disse Paul Barber, director do Brighton.

Entretanto, o Watford, do médio português Domingos Quina, anunciou ter posto o seu estádio, o Vicarage Road Stadium, ao serviço do sistema nacional de saúde, tendo em conta a proximidade com o Hospital Central de Watford.

“Temos que esquecer o futebol agora e concentrarmo-nos em fazer tudo o que for possível para ajudar o NHS e, em particular, o Hospital Central de Watford”, assinalou o presidente do clube, Scott Duxbury.

O NHS no condado de Hertfordshire tinha pedido “mais instalações” fazer frente à pandemia.

“O apoio do clube permite-nos gerir com maior segurança, estamos agradecidos por esta ajuda nestes momentos difíceis”, indicou a conselheira delegada do condado, Christine Allen.

No Reino Unido estão confirmados até esta quarta-feira 8077 casos de pessoas infectadas e 422 mortes.