Espanha teve 462 mortes num dia devido ao coronavírus, o maior aumento em 24 horas

Já morreram 2182 pessoas no total, e 33.089 infectadas. Destes, cerca de 12% são profissionais da área da saúde. Espanha segue a tendência de Itália, embora com seis dias de atraso.

Foto
Um grupo de profissionais de saúde reage a mais um agradecimento público por parte dos cidadãos espanhóis LUSA/Pedro Puente Hoyos

Mais de um em cada dez casos confirmados de coronavírus em Espanha são funcionários dos serviços de saúde, entre médicos, enfermeiros e pessoal auxiliar, disse esta segunda-feira o director dos serviços de emergência do Ministério da Saúde do país, Fernando Simon. Nas últimas 24 horas, Espanha registou mais 462 mortes, para um total de 2782. Na esmagadora maioria dos casos (87%), as vítimas mortais são pessoas com mais de 70 anos. Teme-se agora a repetição do drama em Itália.

“Temos números de que não gostamos, porque temos de tentar controlá-los, e que nos dizem que 3910 profissionais do sector da saúde estão infectados”, disse Simon. O número total de pessoas infectadas com o novo coronavírus em Espanha subiu mais de 4500 nas últimas 24 horas, de 28.572 para 33.089. Destes, cerca de 12% são profissionais da área da saúde.

A vice-presidente do Governo, Carmen Calvo, de 62 anos, foi hospitalizada com uma infecção respiratória, e aguarda-se o resultado dos testes de despistagem do coronavírus, noticia o El País

Tal como em muitos outros países mais afectados pela pandemia, os médicos, enfermeiros e outros profissionais queixam-se de que não estão a receber equipamento suficiente para enfrentar a situação. O Governo e as empresas estão a tentar fazer chegar mais máscaras e outro equipamento aos hospitais, através de compras ao estrangeiro e produção no país.

Foi anunciado que os profissionais de saúde vão ser os primeiros a beneficiar de um programa nacional de testes. No sábado, as autoridades de saúde espanholas afirmaram que se faziam cerca de 15 mil testes diariamente, a ideia é aumentar. 

Esta segunda-feira, começaram a ser distribuídos 650 mil kits de despistagem rápida do coronavírus, que serão distribuídos de forma prioritária aos profissionais de saúde, e a lares de idosos. Este tipo de testes é usado na Ásia e dá uma resposta em minutos, diz o El País. Procura antigénios (moléculas estranhas ao organismo, como o vírus) no exsudado nasofaríngeo. É menos fiável que o teste da PCR (Reacção em Cadeia da Polimerase), que detecta o material genético do vírus, mas mais rápido. Só que não é fabricado em Espanha.

A situação em Espanha começa a aproximar-se perigosamente do drama nos hospitais de Itália, com as equipas médicas a terem de escolher quem vai ter direito a um ventilador e quem vai ter de aguardar em casa a evolução da doença.

Na próxima quarta-feira, o Parlamento espanhol deverá aprovar a extensão do estado de emergência até 11 de Abril, e o Ministério da Saúde insiste na instrução para que todos os cidadãos permaneçam fechados em casa, excepto para comprar comida ou ir à farmácia.

“Temos ouvido dizer, em várias ocasiões, que o pico da epidemia pode chegar esta semana”, disse Fernando Simon. Atingir o pico não significa que o problema esteja resolvido; significa que temos de redobrar os esforços e não dar um passo atrás.”

O director-geral da Organização Mundial de Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse nesta segunda-feira que a pandemia está a acelerar. “Foram precisos 67 dias desde que foram assinalados os primeiros casos até se chegar a 1000. 11 até chegar aos 2000 e quatro dias para chegar aos 300 mil”, afirmou, citado pelo El País