Tribunais tentam há um ano notificar Vale e Azevedo para o julgar

Antigo presidente do Benfica está acusado de prestar garantias falsas de três milhões de euros à justiça. A viver em Londres, recusa ser notificado. Julgamento já foi adiado duas vezes.

,João António Lencastre Cabral do Vale e Azevedo
Foto
Vale e Azevedo regressou a Londres, onde vive desde meados de 2018 Daniel Rocha (arquivo)

Há mais de um ano que o Juízo Central Criminal de Lisboa tenta notificar João Vale e Azevedo, que reside e trabalha em Londres desde Junho de 2018​, para dar início ao julgamento onde estão em causa crimes relacionados com o facto de ter apresentado três milhões de euros de falsas garantias em três processos judiciais e por tentar burlar o BCP, também com garantias falsas, para conseguir um crédito de 25 milhões de euros. O tribunal enviou cartas rogatórias a pedir às autoridades inglesas para notificarem o antigo presidente do Benfica, mas Vale e Azevedo recusou assinar.