Presidente da Relação de Lisboa suspeito de irregularidades na distribuição de processos

Resultados preliminares de auditoria aberta pelo Conselho Superior da Magistratura implicam actual presidente da Relação de Lisboa, Orlando Nascimento. Esta terça-feira órgão de gestão da magistratura reúne-se para tomar medidas.

Uma investigação que foi aberta pelo Conselho Superior da Magistratura (CSM) há cerca de duas semanas, para apurar eventuais falhas na distribuição de processos aos diversos juízes do Tribunal da Relação de Lisboa, detectou irregularidades na atribuição de alguns casos a determinados magistrados. Os indícios de fraude implicam o actual presidente da Relação de Lisboa, Orlando Nascimento, que sucedeu ao ex-presidente daquele tribunal, Luís Vaz das Neves, constituído arguido na Operação Lex no último dia de Janeiro. O PÚBLICO tentou, sem sucesso, contactar Orlando Nascimento.