Morreu antigo ministro da Economia e das Finanças Joaquim Pina Moura

O economista e gestor tinha 67 anos.

Joaquim Pina Moura
Foto
A notícia foi avançada pelo filho DANIEL ROCHA

O ex-ministro da Economia e das Finanças Joaquim Pina Moura morreu esta quinta-feira em casa, em Lisboa, aos 67 anos, devido a doença neurodegenerativa, disse à agência Lusa o filho, o fotojornalista João Pina.

Uma das primeiras reacções à morte de Pina Moura chegou do ministro de Estado, da Economia e Transição Digital, Pedro Siza Vieira, que salientou a “militância política destacada” do antigo ministro Pina Moura, expressando sentidas condolências à família.

Numa nota enviada à comunicação social, Pedro Siza Viera refere que “Pina Moura teve militância política destacada, antes e depois do 25 de Abril, e entre outras funções públicas que exerceu, foi ministro da Economia em dois governos constitucionais, quando era primeiro-ministro António Guterres”.

Horas mais tarde, o actual secretário-geral da ONU António Guterres lembrou o amigo “com grande dedicação à causa pública”. “Foi com profunda tristeza que soube do falecimento do meu amigo Joaquim Pina Moura”, escreveu, numa declaração enviada à agência Lusa.

“Teve uma vida de grande dedicação a causa pública, como eu próprio pude testemunhar durante anos de trabalho conjunto”, sublinhou Guterres, que entre 1995 e 2002 teve Joaquim Pina Moura como secretário de Estado Adjunto (1995) e como ministro da Economia e das Finanças (1999).

António Guterres enviou ainda “um grande abraço de solidariedade” à família e amigos do antigo ministro.

O ministro das Finanças, Mário Centeno, destacou o contributo de Pina Moura para a “construção da democracia e o desenvolvimento do país”, assinalando que “o seu empenho ao serviço de Portugal será sempre recordado”.

Manifestado o seu pesar pela morte do ex-ministro da Economia e das Finanças dos governos socialistas de António Guterres, o actual titular da pasta das Finanças realçou, em declarações enviadas à agência Lusa, “o contributo” que Joaquim Pina Moura “deu à construção da democracia na sua intervenção partidária e ao desenvolvimento do país”, designadamente no exercício das suas funções como ministro.

“O seu empenho ao serviço Portugal será sempre recordado e merece o público reconhecimento”, afirmou.

Natural de Loriga, Seia (distrito da Guarda), Pina Moura frequentou o curso de Engenharia Mecânica na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto e foi dirigente da Associação de Estudantes entre 1972 e 1974. Licenciado em Economia, obteve uma pós-graduação em Economia Monetária e Financeira pelo Instituto Superior de Economia e Gestão, onde foi assistente.

Foi membro do Partido Comunista Português entre 1972 e 1991, tendo aderido ao Partido Socialista em Setembro de 1995. Joaquim Pina Moura exerceu o cargo de secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro António Guterres até 1997, ano em foi nomeado ministro da Economia do XIII Governo Constitucional.

Em 1999, foi nomeado ministro das Finanças e da Economia do XIV Governo Constitucional, também liderado por António Guterres. Pina Moura foi ainda administrador da Galp e presidente da Iberdrola Portugal.

Sugerir correcção