Congresso do PSD em versão digital

Segundo dia do conclave arrancou com uma hora de atraso e mais de 100 inscritos para falar.

Fotogaleria
Fotogaleria

O PSD vai ser o primeiro partido político a disponibilizar um sistema que permite a inscrição de militantes através da chave digital do cartão de cidadão. O partido já assinou um protocolo com a Agência de Modernização Administrativa e prevê que o sistema esteja operacional dentro de um mês e meio.

A revolução tecnológica que está em curso no partido é bem visível no 38.º Congresso do PSD que está a decorrer em Viana do Castelo. O segundo dia acaba de arrancar e há mais de 100 inscritos para ir ao palanque debater as moções. Os militantes que queiram apresentar listas aos órgãos nacionais têm à sua disposição, logo à entrada do Centro Cultural de Viana, dez computadores que fazem o cruzamento dos nomes e de outras informações de forma a evitar repetições ou sobreposições de candidatos. O sistema dá-lhes uma password para poderem aceder aos computadores.

Neste congresso foi dado um grande passo no processo de acreditação, que permite ao partido poupar muito tempo a identificar os congressistas. Delegados, participantes e observadores mostram-se surpreendidos com as mudanças. Há um registo por QRCode -feito através de tablets - que identifica cada um dos congressistas e que permite que a acreditação seja feita em cinco segundos, segundo informou o secretário-geral-adjunto do PSD, Hugo Carneiro ao PÚBLICO.

Hugo Carneiro, o mentor da revolução tecnológica que está em curso no PSD, revela que todas estas mudanças têm um propósito: “Tornar o partido mais tecnológico e uma gestão mais transparente”. O deputado do PSD, formado em Economia, não esconde o orgulho que sente no trabalho que está a fazer e que vai permitir ao partido antecipar em muitas horas na divulgação das listas aos órgãos nacionais, que têm de ser entregues até às 19h deste sábado.

Este é o primeiro congresso tecnológico do PSD, diz o secretário-geral-adjunto, revelando que já há outro partido que já manifestou interesse em dispor de um sistema idêntico ao que o partido está a implementar, mas diz não poder revelar qual é.

“Dentro de um mês e meio, quem quiser inscrever-se no PSD pode fazê-lo com a chave digital do cartão de cidadão”, afirma o dirigente nacional, explicando que as estruturas locais do partido têm à sua disposição uma plataforma digital que lhes permite aceder 24 horas por dias e até ao fim de cada mandato, a um programa de gestão de militantes. 

Para que nada falhe, Hugo Carneiro fez uma acção de formação na sexta-feira de manhã, dirigida a quem iria receber os militantes a partir das 15h do primeiro dia do congresso, integrando-os e tornando-os mais aptos.

O segundo dia do congresso já arrancou (com uma hora de atraso) e interrompe para o almoço entre as 13h e as 15, e para o jantar entre as 20h e as 22h. Começaram as intervenções de discussão das moções sectoriais e de estratégia global. Estão inscritas para falar mais de 100 pessoas, mas os discursos mais importantes ainda devem tardar.