Norte-americano é primeiro estrangeiro a morrer na China com o coronavírus

Nas últimas 24 horas, registaram-se 86 mortes e 3399 novos casos. China elevou o balanço do surto para 722 mortos e mais de 34 mil infectados.

Clínica
Foto
Médico presta assistência a um paciente infectado com o coronavírus LUSA/YUAN ZHENG

Um norte-americano morreu devido ao novo coronavírus em Wuhan, cidade chinesa onde começou o surto, anunciou este sábado a embaixada dos Estados Unidos, naquela que é a primeira morte confirmada de um estrangeiro na China.

“Podemos confirmar que um cidadão norte-americano, de 60 anos, declarado portador do coronavírus morreu num hospital de Wuhan, no dia 6 de Fevereiro”, disse um porta-voz da embaixada dos Estados Unidos em Pequim.

A China tinha elevado este sábado para 722 mortos e mais de 34 mil infectados o balanço do surto de pneumonia provocado pelo coronavírus (2019-nCoV) detectado em Dezembro passado, em Wuhan, capital da província de Hubei (centro), colocada sob quarentena.

Nas últimas 24 horas, registaram-se 86 mortes e 3399 novos casos.

A primeira pessoa infectada pelo coronavírus a morrer fora da China foi um cidadão chinês nas Filipinas.

Além do território continental da China e das regiões chinesas de Macau e Hong Kong, há outros casos de infecção confirmados em mais de 20 países. Na Europa, o número de casos confirmados chegou quinta-feira a 31, com novas infecções detectadas no Reino Unido, Alemanha e Itália.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou em 30 de Janeiro uma situação de emergência de saúde pública de âmbito internacional, o que pressupõe a adopção de medidas de prevenção e coordenação à escala mundial.