Temperatura no comboio? Há elevador? Google Maps celebra 15 anos com novidades

Há cinco novos separadores para navegar a aplicação mais facilmente e usar informação partilhada por outros utilizadores para planear viagens – desde a temperatura nos transportes públicos, a restaurantes novos para visitar, ou a opção de viajar em carruagens só para mulheres.

Google
Foto
Em média, as pessoas conduzem mil milhões de quilómetros por dia com ajuda do Google Maps Reuters/Thomas Peter

O Google Maps está a celebrar 15 anos de existência com novas funcionalidades na aplicação para telemóvel. O objectivo é torná-la mais interactiva ao utilizar comentários e opiniões dos utilizadores sobre os locais que visitaram e como lá chegaram para sugerir rotas e destinos a outros.

Além de um novo ícone, a partir desta quinta-feira, seja em Android ou iOS, vai ser possível ver cinco novos separadores – explorar, ir, guardado, contribuir, e novidades. O separador explorar, que já existia noutras versões da aplicação, serve para encontrar restaurantes, museus, lojas e locais de interesse perto da localização do utilizador. Inclui listas dos restaurantes com melhor classificação dos utilizadores do Google, bem como fotografias partilhadas por diferentes pessoas.

Quem tiver rotas guardadas na aplicação (por exemplo, o percurso feito entre a casa e o trabalho), pode passar a consultar o separador ir para receber actualizações do trânsito em tempo real e percursos alternativos para dias em que há imprevistos como trânsito cortado para actividades desportivas ou acidentes. A partir de Março, quem viaja de transportes públicos passará a encontrar detalhes sobre a temperatura, acessibilidade (se há acesso para pessoas com necessidades especiais, elevadores, ou boa iluminação), se há secções exclusivas para mulheres, e o tipo de segurança (câmaras, profissionais de segurança, linhas de apoio) que existe no local. No Japão também será apresentada informação sobre o número de carruagens disponíveis nos transportes públicos.

“Estes fragmentos de informação útil provêm de passageiros que partilharam as suas experiências”, explicou Dane Glasgow, vice-presidente de produto do Google Maps na apresentação das novidades. Para colaborar com mais informação, qualquer pessoa pode preencher um questionário sobre a sua experiência no final das viagens.

Também se pode partilhar informação (fotografias, correcção de moradas, detalhes sobre o tipo de estradas) no separador contribuir. O novo separador guardado serve para aceder facilmente a restaurantes, museus, e parques que se quer visitar em diferentes cidades. E o separador novidades inclui listas de recomendação criadas por especialistas e sites de recomendações.

A opção de utilizar os mapas do Google em realidade aumentada quando se está a andar a pé também passa a indicar a distância a que se está, em metros, do destino final. A funcionalidade, inicialmente apresentada em Maio do ano passado, ainda está numa fase Beta em Portugal. Ao usá-la, em vez de navegar o mapa através do pequeno ponto azul, pode-se utilizar a câmara do telemóvel para ver setas (com as direcções) sobrepostas ao que está a ver no mundo real.

Clicar para imprimir? 

Na apresentação das novidades, a equipa do Google aproveitou para explicar como as prioridades no desenvolvimento da ferramenta mudaram ao longo dos anos desde que foi lançada em 2005. “No mundo antes dos smartphones, uma das grandes questões com que nos debatemos foi onde colocar o botão de imprimir na página para que as pessoas pudessem levar direcções consigo facilmente em viagem”, lembrou Jen Fitzpatrick, que lidera a equipa de mapas do Google, num texto sobre o aniversário da aplicação. “Escusado será dizer que muito mudou.”

Com os anos, a equipa sente que o foco da aplicação deixou de ser ajudar as pessoas a chegar a um determinado local e passou a incluir dar sugestões sobre lugares a visitar e actividades a realizar. Fitzpatrick diz que, todos os dias, os utilizadores contribuem com 20 milhões de “pedaços de conteúdo” como fotografias e avaliações de locais. 

A equipa do Google acrescenta que nos últimos 15 anos foram mapeados 220 países e que já foram guardados 6,6 mil milhões de lugares no Google Maps. Todos os dias, e somando os utilizadores de todo o mundo, a aplicação ajuda a percorrer mil milhões de quilómetros. 

Apesar de a empresa usar o histórico de localizações do utilizador para sugerir novos locais a visitar, é possível impedir o Google de manter este registo, ou definir que a informação seja automaticamente apagada depois de um determinado período de tempo nas definições da aplicação (no telemóvel, deve-se clicar em definições > definições de localização > histórico de localizações do Google).