Divididos, Joacine e Livre já estão de olhos postos no futuro

Desde que foi conhecida a decisão do órgão máximo do Livre, a deputada Joacine Katar Moreira ainda não se pronunciou.

A deputada Joacine Katar Moreira ainda não reagiu à decisão do partido Livre
Foto
A deputada Joacine Katar Moreira garantiu anteriormente que não irá prescindir do seu mandato Daniel Rocha

A separação entre o Livre e a deputada Joacine Katar Moreira já está em andamento, mas os próximos capítulos ainda não estão definidos. Independentemente desses desafios — e de um possível processo disciplinar que se poderá estender até à expulsão do partido —, ambas as partes estão já a tratar da separação de bens. Os “danos” de perder representação parlamentar são óbvios para o Livre, mas também Joacine Katar Moreira perderá tempo de intervenção em São Bento. Conscientes das dificuldades que a decisão traz, há pelo menos um ponto de convergência entre a direcção do Livre e a deputada eleita: os dois lados irão apostar na comunicação com os eleitores, mas a duas vozes.

De um lado, Joacine Katar Moreira prepara o lançamento de um site em nome próprio, do outro, o Livre irá apostar em comunicar as suas propostas políticas durante os próximos anos (e com os olhos nas próximas eleições regionais e autárquicas) como “um partido credível”.

A preparação do futuro site de Joacine Katar Moreira foi noticiada pelo Expresso, ainda antes da retirada de confiança política. Ao jornal, o responsável pelo gabinete parlamentar de Katar Moreira explicou que o projecto “ainda está em fase de desenvolvimento inicial” e ainda não há uma data para o lançamento. Sabe-se, porém, que o objectivo será marcar a agenda política, o que permitirá à deputada ter uma plataforma alternativa para se pronunciar sobre a actualidade e para comunicar directamente com os eleitores.

O site deverá servir também para preencher a ausência de Joacine Katar Moreira das redes sociais: a deputada tem Facebook, mas está reservado a amigos, e desde o início de Dezembro que não tem conta no Twitter, onde tinha presença activa desde Março de 2019, para divulgar as suas mensagens políticas e as transcrições de intervenções no Parlamento. Após os primeiros desentendimentos públicos com a direcção do partido, a deputada apagou a conta, recusando-se a comentar a sua decisão.

Do lado do Livre, que se mantém activo nas redes sociais, a preocupação é “reconquistar a confiança dos eleitores” nos próximos anos, sem ignorar as três eleições que antecedem as próximas legislativas, apostando num programa político “ambientalmente sustentável e socialmente justo”.