A nova moeda de 50 pence
Foto
A nova moeda de 50 pence Royal Mint/DR

Nova moeda para celebrar o “Brexit” é controversa — por causa de uma vírgula

Cunhada para assinalar o “Brexit”, e a entrar em circulação sexta-feira, a moeda de 50 pence está no centro de controvérsia, devido à ausência da vírgula de Oxford.

Uma nova moeda de 50 pence (cerca de 60 cêntimos) tem causado discórdia no Reino Unido. Prestes a entrar em circulação (já esta sexta-feira, 31 de Janeiro, precisamente para celebrar o “Brexit"), está a ser alvo de críticas — e tudo devido à alegada falta de uma vírgula.

A pontuação na frase “Peace, Prosperity and Friendship with all nations” (em tradução literal, “Paz, prosperidade e amizade com todas as nações"), presente na coroa da moeda, é o centro da questão, com muitos a apontar a omissão da vírgula a seguir a “Prosperity”. Está em causa a chamada vírgula de Oxford, a Oxford comma, que em inglês se coloca antes de conjunções (como “e) em listas. 

O debate na esfera pública foi iniciado por Philip Pullman, conhecido pela trilogia Mundos Paralelos. No último domingo, o escritor "tweetou” que faltava “uma vírgula de Oxford na moeda de 50p do ‘Brexit’” e, por isso, deveria “ser boicotada por toda a gente alfabetizada”. O tweet, que já conta com mais de 3,5 milhares de retweets e 19 mil gostos, abriu a discussão no Twitter.

Também conhecida como “vírgula de série”, a vírgula de Oxford, que não existe em português, levanta acesos debates na comunidade linguística. O livro de estilo Oxford Style Manual aponta-a como “rotineira” em certas variedades do inglês, como dos EUA e Canadá, e necessária, “caso o último item numa lista tenha ênfase igual aos anteriores”, ajudando a eliminar qualquer “ambiguidade”.

Citado pelo The Telegraph, um porta-voz da Royal Mint, a casa da moeda do Reino Unido, disse que a instituição respeita completamente “a visão dos que sugerem que devesse constar uma vírgula adicional”, mas que, no caso em questão, foi acordado que “a mensagem na moeda é apropriadamente veiculada conforme foi finalizada”. 

Há ainda também quem considere boicotar a moeda por um outro motivo — a revolta contra o “Brexit”. Os remainers, aqueles que desejariam continuar na União Europeia, já começaram a expressar o seu desagrado. É, por exemplo, o caso de  Alastair Campbell, jornalista e antigo director de comunicação do ex-primeiro-ministro Tony Blair, que reagiu no Twitter: “Vou pedir aos lojistas por ‘duas moedas de 20p e uma de 10’ se me oferecerem uma de 50p, a fingir que o ‘Brexit’ trata de ‘paz, prosperidade e amizade com todas as nações’, quando põe as três em xeque.”

Actualização: O câmbio de libras para euros estava incorrecto. Foi acrescentado o último parágrafo.

Sugerir correcção