Segunda vítima mortal de violência doméstica este ano. Mulher morreu esfaqueada pelo marido

GNR desconhece a existência de queixas formais relativamente a situações de violência doméstica entre o casal.

Foto
Manuel Roberto

Uma mulher de 80 anos foi esta segunda-feira assassinada pelo marido, de 84 anos, em Pedroso, concelho de Vila Nova de Gaia, disse à Lusa fonte da GNR. De acordo com a fonte, o homem terá usado uma arma branca para desferir seis golpes na vítima.

O crime ocorreu cerca das 9h45, na habitação do casal. E o agressor foi “retido” para ser entregue à Polícia Judiciária, que irá averiguar as circunstâncias em que o crime ocorreu.

A fonte da GNR disse à Lusa desconhecer a existência de queixas formais relativamente a situações de violência doméstica no seio do casal.

Esta será a segunda vítima mortal de um crime ocorrido em contexto de violência doméstica. Na madrugada de 20 de Janeiro, um homem de 39 anos foi morto à facada pela namorada em Odivelas. A vítima era de nacionalidade brasileira. A agressora, uma mulher de 32 anos, encontra-se detida.

Pelo menos 35 pessoas foram mortas só o ano passado mortas em contexto de violência doméstica em Portugal. A juntar aos mais recentes dados divulgados em Novembro pelo Governo — que se comprometeu a fazê-lo trimestralmente — somam-se mais duas vítimas mortais, ainda em 2019, duas mulheres assassinadas alegadamente pelos companheiros, uma em Cascais, outra em Leiria. Passam assim a existir 27 mulheres adultas mortas, uma criança e sete homens.

Até 12 de Novembro, as estatísticas realizadas pelo Observatório de Mulheres Assassinadas (OMA), da União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR), apontavam para a morte de 28 mulheres e 27 tentativas de femicídio em 2019. Com as duas mais recentes mortes, a contagem de mulheres assassinadas em contexto de violência doméstica sobe para 30, número que ultrapassa as 28 mortes registadas em 2018 por esta organização.

De acordo com a mesma organização, nos últimos 15 anos, houve 531 vítimas e 618 vítimas de tentativa de homicídio em contexto de violência doméstica.

Notícia corrigida às 13h35: acrescenta informação sobre outra vítima mortal de violência doméstica em 2020, um homem de 39 anos morto em Odivelas

Sugerir correcção