Jerusalém vai ter uma praça com o nome de Aristides Sousa Mendes

O embaixador de Israel em Lisboa já convidou Marcelo Rebelo de Sousa para estar presente na cerimónia de inauguração da praça.

Foto
naa Nuno Alexandre Mendes

Jerusalém vai ter uma praça com o nome de Aristides Sousa Mendes, o diplomata português que pôs em risco a sua carreira ao desobedecer a ordens do Governo de Salazar e emitiu milhares de vistos a refugiados que fugiam do regime nazi. A praça ficará nas imediações do Yad Vashem, o Centro de Memória do Holocausto, avançou o embaixador de Israel em Lisboa, Raphael Gamzou, ao semanário Expresso.

A inclusão do nome do cônsul português na toponímia de Jerusalém foi proposta pela Sousa Mendes Foundation há mais de dois anos. A praça deverá ser inaugurada no primeiro semestre deste ano, já que em Junho se celebram os 80 anos da operação do diplomata, que naquele mês de 1940 emitiu a grande maioria dos vistos que permitiu salvar milhares de vidas, dias depois da ocupação de Paris pelas tropas nazis e até a sua posição de cônsul ter sido revogada.

Segundo o Expresso, o embaixador Raphael Gamzou já convidou Marcelo Rebelo de Sousa para estar presente na cerimónia de inauguração da praça. 

Aristides Sousa Mendes foi reconhecido por Israel como “Justo entre as Nações” em Outubro de 1966, doze anos após a sua morte. Em Portugal, foi já o presidente Mário Soares, em democracia, que num acto simbólico pediu desculpa à família de Sousa Mendes pela forma como o diplomata foi depois tratado pelo Estado.

Existe já uma rua Aristides de Sousa Mendes na cidade de Telavive.

Sugerir correcção