Miguel Pinto Luz assume derrota: “Agora a responsabilidade é muito maior”

Como manda a tradição, o último classificado foi o último a falar. Miguel Pinto Luz ficará além de 10% dos votos, de acordo com o próprio.

Miguel Pinto Luz (PSD)
Foto
Miguel Pinto Luz (PSD) LUSA/FERNANDO VELUDO

Miguel Pinto Luz venceu as eleições directas do PSD em Lisboa Área Metropolitana (como era esperado), na Madeira e em Setúbal, e é expectável que os 12% (incluindo a Madeira - dados não disponibilizados no site) que disse ter chegarão para obrigar a uma segunda volta. Como manda a tradição, o vice-presidente da Câmara de Cascais, sendo o menos votado, foi o primeiro a falar, na noite eleitoral que considerou “longa”. “O resultado hoje é claro. Chegámos aos 12%. Muito obrigado a todos. (...). Agora, a responsabilidade é muito maior”, disse Miguel Pinto Luz.

O vice-presidente da Câmara de Cascais agradeceu à equipa, aos militantes que votaram, aos apoiantes e à família, e deu os parabéns a Rui Rio e a Luís Montenegro, seus adversários. “Quero humildemente dizer-vos que hoje nós não ganhámos. Cabe-me a mim dar os parabéns ao dr. Rui Rio e ao dr. Luís Montenegro”, afirmou, antes de dizer que a sua candidatura surpreendeu todos, “mesmo os que tentaram a todo o custo uma bipolarização nestas eleições”.

“Marcámos a diferença pelas ideias, pelo nosso reformismo e inconformismo permanente, pelo nosso arrojo, agenda e prioridades. Partimos com as expectativas modestas”, acrescentou. Miguel Pinto Luz disse ainda que o PSD é a única “alternativa ao modelo socialista estatizante que afastou o país do mundo moderno”.

Logo ao início da noite, o porta-voz da candidatura, Nuno Freitas, assumiu a derrota. "Começámos como os desconhecidos, terminámos como uma esperança no PSD (...). Miguel Pinto Luz é hoje uma referência do que é o futuro do PSD”. A primeira vitória do autarca de Cascais foi em Setúbal, com 298 votos (Montenegro teve menos seis e Rio ficou-se pelos 238).

Sugerir correcção