Torne-se perito

Morreu Ivan Passer, um dos realizadores e argumentistas da Nova Vaga checa

Luz Íntima, À Maneira de Cutter ou Haunted Summer são alguns dos seus filmes mais recordados.

Ivan Passer, que primeiro foi argumentista e depois realizador da Nova Vaga do cinema checo, morreu aos 86 anos na quinta-feira nos Estados Unidos, para onde tinha imigrado e onde realizou thrillers como À Maneira de Cutter (1981). A sua carreira é marcada por obras como Haunted Summer (1988), que não teve estreia comercial em Portugal e foi nomeado para o Leão de Ouro do Festival de Veneza.

Ivan Passer nasceu em Praga em 1933 e foi na infância que conheceu Milos Forman, uma amizade forjada num internato para rapazes onde também estudou, lembra a revista Variety, o futuro Presidente da Checoslováquia e, depois, da República Checa, Vaclav Havel. Essa ligação manter-se-ia para o resto da vida. Passer e Forman estudaram mesmo juntos na Academia de Cinema de Praga, como nota o diário britânico The Guardian, e foram tentando trabalhar furando a censura e o controlo do regime comunista do seu país.

Escreveu os guiões de dois dos mais reconhecidos filmes da Nova Vaga checa — O Ás de Espadas (1964) e Os Amores de Uma Loira (1965), ambos de Milos Forman; assinou ainda com outros dois autores o argumento de O Baile dos Bombeiros (1967) e afirmar-se-ia como realizador com Luz Íntima (1965), que segundo a Cinemateca Portuguesa descreve num breve texto sobre o filme para o PÚBLICO, “impôs o seu nome como um dos cineastas mais importantes da sua geração na Europa Central”. No mesmo texto assinala-se que “esta história de um jovem que se lembra dos prazeres simples foi definida pelo realizador como ‘uma variação musical sobre a busca da felicidade’”.

Tal como Forman, Passer iria viver para os Estados Unidos depois da fuga que operaram em conjunto em Janeiro de 1969 – Passer disse à Variety em 2018 que só conseguiram passar a fronteira sem visto porque o guarda era admirador de Milos Forman. A sua segunda longa-metragem, Born to Win (1971) foi já uma produção americana. Seguir-se-iam Patrulha Auxiliar (1974), com Carroll O’Connor e Ernest Borgnine, ou Trunfo na Manga (1976), com Omar Sharif. À Maneira de Cutter, com Jeff Bridges e John Heard, é a sua obra mais admirada em língua inglesa.

Filmou com Michael Caine ou Peter O’Toole e nos anos 1990 começou a trabalhar sobretudo em telefilmes, alguns deles premiados. O seu último filme como realizador é de 2005, Nomad - A Profecia do Guerreiro. Foi também professor de cinema.

Sugerir correcção