Fotogaleria
Greta Thunberg durante um discurso para jovens activistas em Turim, Itália ALESSANDRO DI MARCO/LUSA
Fotogaleria
ALESSANDRO DI MARCO/LUSA
Fotogaleria
ALESSANDRO DI MARCO/LUSA
Fotogaleria
ALESSANDRO DI MARCO/LUSA

Greta Thunberg pede desculpa por dizer que políticos devem ser postos “contra a parede”

Durante um discurso para jovens activistas em Turim, a activista sueca disse que os líderes mundiais estavam a fugir das suas responsabilidades na luta contra as alterações climáticas e que deviam ser colocados “contra a parede”.

A jovem activista pelo clima Greta Thunberg pediu desculpa por dizer que os políticos devem ser postos “contra a parede”, depois de haver pessoas críticas que consideravam que ela estava a defender a violência. A sueca de 16 anos fez este comentário na sexta-feira, durante um discurso para jovens activistas na cidade italiana de Turim. Thunberg explicou mais tarde que tinha feito uma tradução literal do sueco em que a expressão que usou significava fazer a alguém perguntas difíceis.

“É o que acontece quando improvisas discursos numa segunda língua. Mas claro que peço desculpas se ninguém entendeu isso”, escreveu este sábado Greta Thunberg no Twitter.

Thunberg disse à multidão em Turim que os líderes mundiais estavam a fugir das suas responsabilidades na luta contra as alterações climáticas.

“Temos de ter a certeza de que eles não conseguem fazer isso”, disse a jovem activista, acrescentando: “Vamos certificarmo-nos que nós os vamos colocar contra a parede, e que eles terão de fazer o seu trabalho e proteger o nosso futuro”.

Algumas vozes da direita nas redes sociais interpretaram o comentário de Greta como um apelo à violência contra os políticos.

No Twitter, Thunberg esclareceu que ela e o movimento de jovens que ela inspirou são contra todas as formas de violência.