Trudeau desvaloriza vídeo com Macron e Johnson – Trump chama-lhe “hipócrita”

Presidente norte-americano disse que Trudeau era hipócrita, Trudeau responde com humor ao vídeo em que diz que a equipa de Trump ficou “de queixo caído”.

Foto
Donald Trump e Justin Trudeau OLIVIER HOSLET/EPA

O primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, desvalorizou o vídeo em que aparece juntamente com outros líderes a comentar um atraso de um líder porque este “resolveu dar uma conferência de imprensa de 40 minutos”, deixando toda a sua equipa “de queixo caído” com a surpresa, parecendo referir-se ao Presidente norte-americano, Donald Trump.

Questionado sobre o vídeo, o Presidente dos Estados Unidos disse que Trudeau era “hipócrita" e aproveitou para falar do seu tema preferido, a contribuição dos países para NATO, dizendo que o canadiano “não ficou muito contente” por Trump lhe ter lembrado que o seu país deveria contribuir mais para a NATO, dedicando 2% do seu PIB a Defesa. 

Trudeau desvalorizou o vídeo da conversa no Palácio de Buckingham em que estão também o Presidente francês, Emmanuel Macron, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, a princesa Ana, o primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, sublinhando que teve um “óptimo” encontro com Trump na véspera.

“A noite passada fiz uma referência ao facto de ter havido uma conferência de imprensa não prevista antes do meu encontro com o Presidente Trump”, disse o primeiro-ministro canadiano. “Não me importei nada de participar, mas foi certamente digno de nota.” 

“Ficámos todos surpreendidos e penso que agradados com o anúncio de que o próximo G7 vai ser em Camp David, penso que foi um anúncio que não estava previsto”, continuou Trudeau. “Penso que todos os líderes têm equipas que ficam de queixo caído de vez em quando com surpresas”, disse, acrescentando: “Como este vídeo”. 

Boris Johnson, pelo seu lado, negou ter feito troça de Trump quando questionado pelos jornalistas.

Trump disse, entretanto, que não dará uma conferência de imprensa no final do encontro. “Já fizémos imensas nos últimos dois dias”, justificou.