Torne-se perito

Para Trump, Macron “faltou ao respeito” ao dizer que a NATO está em “morte cerebral”

O Presidente dos EUA disse que “ninguém precisa mais da NATO que a França”.

Foto
Stoltenberg com Trump Reuters/KEVIN LAMARQUE

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, considerou “desagradável” e “uma falta de respeito” a posição do chefe de Estado francês que afirmou recentemente que a NATO está em estado de “morte cerebral”.

Trump iniciou com esta resposta uma conferência com o secretário-geral da Aliança Atlântica, Jens Stoltenberg, antes do início da cimeira da organização, em Londres.

“Ouvi o Presidente Macron dizer que a NATO estava em morte cerebral. Penso que isso é muito insultuoso para uma série de diferentes forças. Tem um grande objectivo”, disse Trump. 

Numa entrevista à revista The Economist em Novembro, Macron criticou a falta de coordenação entre os membros da NATO quanto à Turquia e à sua recente operação militar na Síria. Na semana passada, o Presidente turco, Recep Erdogan, respondeu dizendo que era Macron quem estava em “morte cerebral”, causando uma crise diplomática antes da cimeira, que termina quarta-feira e que assinala os 70 anos da Aliança Atlântica.

O Presidente dos Estados Unidos disse que as palavras de Macron foram uma afirmação “perigosa”. “Quando a França faz uma declaração contra a NATO como esta, é muito perigoso”, afirmou acrescentando que “ninguém precisa mais da NATO do que a França”. “Francamente, quem beneficia menos [da NATO] são os Estados Unidos”.

Também disse que podia ver a França a “sair” da NATO, mas não explicou o que significavam as suas palavras.

Trump deve reunir esta terça-feira com Macron. Em Londres, os líderes de 30 países participam na cimeira em que se celebra os 70 anos da Aliança Atlântica, que protege cerca de mil milhões de pessoas.

Sugerir correcção