Amigo de Sócrates assumiu que tinha cofre com 200 mil euros para pagar a facilitadores

Carlos Santos Silva disse que o advogado Gonçalo Trindade alugou um cofre no banco a seu pedido, insistiu que a casa de Paris onde Sócrates viveu era sua e alegou que não conhece Ricardo Salgado.

,Operação Marquês
Foto
O depoimento de carlos Santos Silva continua esta sexta-feira no Tribunal Central de Instrução Criminal, em Lisboa. LUSA/Luís Ruivo

Carlos Santos Silva, empresário e amigo de José Sócrates, assumiu esta quinta-feira, no Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC) que o cofre do BCP, que estava em nome do advogado Gonçalo Trindade Ferreira, foi alugado a seu pedido e que os 200 mil euros que nele foram apreendidos durante as buscas eram seus.