Electricidade em Portugal é a oitava mais cara da UE, gás é o quinto mais alto

Segundo dados do Eurostat, Portugal ficou, entre Janeiro e Junho, no oitavo lugar da tabela dos preços da electricidade para uso doméstico (21,5 euros por 100 quilowatt/hora, incluindo taxas e impostos). No gás para consumo doméstico, os portugueses pagaram o quinto preço mais alto.

Foto
fau fabio augusto

Portugal teve no primeiro semestre do ano o segundo maior recuo homólogo dos preços da electricidade para consumo privado (-4,1%) entre os Estados-membros da União Europeia (UE), mas apresenta a oitava mais cara, segundo o Eurostat.

Entre o primeiro semestre de 2018 e os primeiros seis meses deste ano, as maiores descidas nos preços da electricidade para consumo doméstico registaram-se na Dinamarca (-4,3%), Portugal (-4,1%), Polónia (-3,1%) e Grécia (-1,3%), enquanto as maiores subidas foram observadas na Holanda (20,3%), Chipre (16,4%), Lituânia (14,4%) e República Checa (12,0%).

Portugal ficou, entre Janeiro e Junho, no oitavo lugar da tabela dos preços da electricidade para uso doméstico (21,5 euros por 100 quilowatt/hora, incluindo taxas e impostos), com a Alemanha no topo da tabela (30,9 euros por 100 kWh), seguida da Dinamarca (29,8 euros) e da Bélgica (28,4 euros).

A Bulgária (9,9 euros por 100kWh), a Hungria (11,2 euros) e a Lituânia (12,5 euros) apresentaram os preços mais baixos da electricidade.

Na média da UE, o preço da electricidade para consumo doméstico aumentou de 20 para 21 euros por 100 quilowatts a hora.

Gás doméstico em Portugal é o 5º mais caro

No que diz respeito ao gás para consumo doméstico, os portugueses pagaram o quinto preço mais alto da União Europeia (7,6 euros por 100 kwh), com a média da União Europeia (UE) a fixar-se nos 6,3 euros, no primeiro semestre do ano, segundo os mesmos dados do Eurostat.

Nos primeiros seis meses do ano, a Suécia apresentou o preço mais alto para o gás de consumo doméstico (11,8 euros por 100 quilowatts/hora), seguindo-se a Holanda (9,2 euros) e a Dinamarca (8,6 euros), a Croácia (3,8 euros), e com a Hungria e Roménia (3,5 euros por 100 kWh cada) a apresentarem os menores preços.

Entre o primeiro semestre de 2018 e o de 2019, os maiores recuos nos preços do gás doméstico foram observados na Dinamarca (-1,7%), Hungria (-1,6%) e Áustria (-1,3%) e os principais aumentos na Bulgária (18,3%), Letónia (15,8%) e Estónia (14,2%).

Em Portugal, o gás para consumo doméstico subiu de 7,5 para 7,6 euros por 100 kWh.

Sugerir correcção