Entusiasmo, poucas filas e alguns entraves às portas da Web Summit

A quarta edição da Web Summit em Lisboa trouxe menos filas que o habitual, mas algumas queixas na compra de bilhetes de transporte e acessos à feira para pessoas com deficiência.

Fotogaleria
Muitos participantes optaram por fazer a acreditação no aeroporto para escapar às filas LUSA/ANTÓNIO COTRIM
2017 Web Summit
Fotogaleria
Francisco Pereira
Fotogaleria
LUSA/ANTÓNIO COTRIM
,2017 Web Summit
Fotogaleria
O fundador da Web Summit, Paddy Cosgrave Francisco Pereira
Fotogaleria
Edward Snowden, em directo de Moscovo Francisco Pereira
Fotogaleria
O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, o ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, e Paddy Cosgrave Francisco Pereira
Fotogaleria
Francisco Pereira

Este ano, as filas à porta da Altice Arena no primeiro dia da Web Summit foram menores que o habitual, com muitos participantes a optar por fazer a acreditação no aeroporto de Lisboa (mesmo que não tivessem viajado de avião). Só às 16h30 – meia hora antes da abertura oficial – é que a zona em frente ao centro comercial Vasco da Gama começou a ficar mais agitada com participantes, investidores e donos de startups a dirigem-se apressadamente para entrada para conseguir um bom lugar. É um cenário diferente do de 2018, que foi marcado por vários protestos à porta da feira.