Foto

Um momento de publicação independente: H-alt

Fanzines, edições de autor, livros de artista — nesta rubrica queremos falar de publicação independente. Sérgio Santos apresenta a H-alt. O próximo podes ser tu.

Apresenta-nos a tua publicação.
A H- alt é uma revista digital gratuita de banda desenhada (ISSN atribuído pela Biblioteca Nacional), escrita em português e relacionada com as temáticas de ficção científica, fantasia, realidade/história alternativa (ficção especulativa). O objectivo desta publicação é divulgar e incentivar produção de pequenas histórias de BD, em formato de antologia. Existe também a preocupação que os vários participantes criem histórias em equipa (argumentistas, desenhadores, coloristas), com o propósito de incentivar o trabalho colaborativo entre autores.

Há também uma versão impressa de baixa tiragem, correspondente à edição digital, acessível por encomenda ou disponível em algumas livrarias em Lisboa (Legendary Books, Leituria). Em todas as edições há sempre um autor consagrado que aparece como imagem de capa, assim como uma entrevista exclusiva, além de poderem aparecer secções esporádicas para dar a conhecer o trabalho de certos artistas ou instituições.

PÚBLICO -
Foto

A H-alt costuma fazer as apresentações oficiais nos dois principais festivais de banda desenhada (Amadora e Beja) — habitualmente costumam sair dois números por ano. A publicação nasceu em 2015 e recentemente juntou-se à associação Tentáculo, especializada em BD. Em parceria com a plataforma Plamodium Vivax, foram criados os prémios Quadradinho Fantástico, que distinguem os vários autores participantes em várias categorias (argumento, arte, coloração, legendagem, história).

No site da H-alt é possível aceder a artigos sobre autores, personagens, críticas de livros e eventos. Foi também criado um podcast, onde são entrevistadas várias personalidades ligadas ao mundo da BD.

Quem são os autores?
Neste momento a H-alt já teve oito edições e uma especial (best of). A apresentação oficial do número 9 vai acontecer na Amadora BD a 3 de Novembro, das 16h às 16h30. Existirá depois uma sessão de autógrafos com os autores. A capa é da autoria do ilustrador e autor de BD Miguel Montenegro. Nesta edição vão sair 14 histórias, duas das quais são continuações de histórias anteriores. A versão online ficará disponível no dia a seguir à apresentação. Ao todo, já colaboraram com a revista 112 autores, entre artistas, argumentistas, coloristas, legendadores, tradutores, arte-finalistas.

PÚBLICO -
Foto

Do que querem falar?
As várias histórias de banda desenhadas seguem a temática da ficção especulativa, que por si só é um tema muito abrangente e diversificado. O objectivo da publicação é incentivar novos valores na banda desenhada, sobretudo em Portugal e no universo lusófono. Têm também existido colaborações com autores de diversas nacionalidades (de países como Polónia, Estados Unidos, França, Espanha, Argentina, Reino Unido, entre outros).

Questões técnicas: quais os materiais usados, quantas páginas tem, qual a tiragem e que cores foram utilizadas?A edição digital está disponível nas plataformas digitais Issuu e Calaméo, sendo possível aceder também pelo site. A edição impressa é a cores, tem tamanho A5, impressão digital e o número de páginas costuma variar entre 150 e 190. O papel utilizado é de boa qualidade, mate com gramagem de 90 gramas.

Onde está à venda e qual o preço?
O preço da edição normal é 10 euros, o best of custa 12 euros. Existem alguns descontos para situações particulares.

Porquê fazer e lançar edições hoje em dia?
A questão deveria ser mais por que não fazer mais edições hoje em dia. Com a impressão digital abriu-se um novo leque de possibilidades que facilitam a democratização da edição impressa sem sacrifício de qualidade e com custos de produção muito competitivos. Para que um projecto possa crescer, primeiro terá que nascer. Claro que corremos sempre o risco de surgirem projectos irrelevantes sem sustentabilidade. O que muitos não percebem é que o público está constantemente a mudar e, por vezes, só compreendemos que existe uma necessidade quando existe mais variedade e mais opções de escolha.

Recomenda-nos uma edição de autor recente lançada em Portugal.
A associação Tentáculo e o Museu Bordalo Pinheiro lançaram recentemente uma biografia em banda desenhada para homenagear essa grande figura que é o Bordalo Pinheiro. A publicação foi feita com o contributo de vários autores (desenhadores e argumentistas).