“Brexit”: Rebelião em Westminster obriga Johnson a pedir adiamento e a recusá-lo ao mesmo tempo

Johnson suspendeu votação do acordo após Parlamento aprovar emenda a obrigar adiamento. Forçado por lei, primeiro-ministro envia carta (não assinada) a Bruxelas a pedir extensão da data para o divórcio, mas garante que “não vai negociar adiamento”. E marca nova votação para a semana.

Fotogaleria
Centenas de milhares de pessoas de todo o país participaram nos protestos EPA/HOLLIE ADAMS
Fotogaleria
Centenas de protestantes juntaram-se em frente ao Parlamento britânico EPA/HOLLIE ADAMS
Fotogaleria
Caricaturas do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e do seu conselheiro Dominic Cummings também marcaram presença este sábado Reuters/DYLAN MARTINEZ
Fotogaleria
Cartazes a criticar Boris Johnson, bandeiras da União Europeia e bandeiras do Reino Unido misturavam-se na multidão Reuters/SIMON DAWSON
Fotogaleria
Vários políticos tiveram de ser escoltados pela polícia à saída do parlamento EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA
Fotogaleria
A chuva não parou os protestantes Reuters/DYLAN MARTINEZ
Fotogaleria
Milhares de protestantes continuam a acreditar que o Brexit não é a solução EPA/HOLLIE ADAMS
Fotogaleria
É a primeira vez que o Parlamento britânico se reúne a um sábado desde 1982, durante a Guerra das Malvinas Reuters/STRINGER
Fotogaleria
Centenas de milhares de pessoas de todo o país participaram nos protestos Reuters/DYLAN MARTINEZ
Fotogaleria
Centenas de milhares de pessoas de todo o país participaram nos protestos EPA/VICKIE FLORES
Fotogaleria
Centenas de milhares de pessoas de todo o país participaram nos protestos EPA/VICKIE FLORES
Fotogaleria
Centenas de milhares de pessoas de todo o país participaram nos protestos EPA/VICKIE FLORES
Fotogaleria
Um manifestante com um cartaz que pede que o Artigo 50 seja revogado EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA
Fotogaleria
"Parem o Brexit", lia-se em vários cartazes EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA
Fotogaleria
As autoridades estimam que até um milhão de pessoas terão participado na marcha Reuters/HENRY NICHOLLS
Fotogaleria
Vários manifestantes querem que as pessoas tenham direito a votar sobre o parecer final Reuters/DYLAN MARTINEZ
Fotogaleria
A meio da tarde, vários manifestantes celebraram a possibilidade da aprovação de uma emenda ao acordo do "Brexit" Reuters/SIMON DAWSON
Fotogaleria
Vários políticos tiveram de ser escoltados pelas autoridades Reuters/STRINGER
Fotogaleria
Vários políticos tiveram de ser escoltados pelas autoridades Reuters/STRINGER
Fotogaleria
As autoridades estimam que até um milhão de pessoas terão participado na marcha Reuters/HENRY NICHOLLS

Os protagonistas da mais desconcertante e imaginativa novela política europeia das últimas décadas, voltaram a surpreender os espectadores, e o “supersábado” em Westminster, que se previa decisivo para o futuro do “Brexit”, acabou por trazer ao processo ainda mais pontos de interrogação aos (muitos) que já existiam. A aprovação de uma emenda ao acordo de saída do Reino Unido da União Europeia, que Boris Johnson ambicionava aprovar, levou o primeiro-ministro a suspender a votação ao documento que trouxe de Bruxelas, a recusar negociar o adiamento da saída, a enviar uma carta não assinada à UE a pedir esse adiamento e a reagendar a votação decisiva para a próxima semana.