Aliança, Democracia 21 e PPM defendem repetição das eleições nos círculos da emigração

Em causa estão as diversas falhas nos votos dos portugueses a residir no estrangeiro.

Foto
Nuno Ferreira Santos

O movimento Democracia 21 e o Partido Popular Monárquico (PPM) juntaram-se à Aliança para requerer ao Presidente da República e ao Ministério da Administração Interna a repetição das eleições legislativas nos círculos da Europa e Fora da Europa. Apresentam como motivo as situações que não permitiram o voto de portugueses emigrados em vários países. A Aliança enviou uma missiva com a sua posição a todos os partidos que apresentaram candidaturas aos referidos círculos. 

A Aliança diz ter tomado conhecimento de casos “a quem foi vedado o direito de voto”. Em comunicado, o partido enumera diversas falhas que demonstram que “no mínimo, faltou cuidado, profissionalismo e respeito pelos cidadãos portugueses que vivem no estrangeiro”. Até ao dia 9 de Outubro, resume o partido liderado por Pedro Santana Lopes, houve 131.967 portugueses que não receberam os envelopes com os boletins de voto. A Aliança aponta vários problemas relacionados com os envelopes: foram enviados para moradas erradas e que, por isso, não chegaram aos eleitores; demoraram um mês a chegar aos eleitores, não regressando a Portugal a tempo de serem contabilizados; houve envelopes entregues depois de 6 de Outubro, data limite para colocar os votos nos correios, e outros devolvidos aos eleitores por diferentes motivos.

Além de pedir a repetição do acto eleitoral nos círculos da Europa e Fora da Europa, a Aliança também defende a implementação do voto electrónico não presencial. O partido considera que “demore o tempo que demorar até ao desenvolvimento e implementação de um sistema de votação online seguro e eficiente”, é mais importante “garantir que se cumpre a democracia” do que a tomada de posse dos quatro deputados eleitos por estes dois círculos.

A Aliança enviou uma missiva com a sua posição a todos os partidos que apresentaram candidaturas aos referidos círculos. O movimento Democracia 21 e o PPM juntaram-se à Aliança e também pretendem requerer ao Presidente da República e ao Ministério da Administração Interna a repetição do acto eleitoral. O Democracia 21 e o PPM concorreram juntos nas eleições legislativas de 6 de Outubro pelo círculo Fora da Europa, com o candidato Christian Hohn.

Até segunda-feira, os correios já trouxeram 138 mil envelopes com votos de emigrantes portugueses. Da África do Sul, por exemplo, ainda não chegou nenhum envelope dos 32.596 que tinham sido enviados. O apuramento e contagem dos votos dos dois círculos da emigração são feitos esta quarta-feira no pavilhão do Casal Vistoso, em Lisboa.

Texto editado por Sónia Sapage