Manipulação do recenseamento ensombra eleições moçambicanas

O número anormal de recenseados na província de Gaza, onde a Frelimo obtém os melhores resultados, marcou uma campanha eleitoral violenta, com 38 mortos, incluindo um conhecido observador eleitoral, assassinado a tiro.

,Armando Guebuza
Fotogaleria
Cartazes da Renamo e da Frelimo em Maputo Grant Lee Neuenburg/REUTERS
,RENAMO
Fotogaleria
Em campanha pela Renamo e o seu líder, Ossufo Momade ANTONIO SILVA/LUSA
Filipe Nyusi
Fotogaleria
Cartaz de apoio a Filipe Nyusi no comício de encerramento da campanha da Frelimo ANTONIO SILVA/LUSA

Os moçambicanos vão a votos a 15 de Outubro para eleger o Presidente, Parlamento e assembleias provinciais com o espectro da fraude a pairar sobre o resultado das eleições, numa campanha fraca em candidatos e programas políticos, marcada por uma grande dose de violência e mesmo morte.