Sara Danius, antiga secretária da Academia Sueca, morre aos 57 anos

Danius abandonou a instituição que atribui o Nobel de Literatura no início deste ano na sequência de um escândalo de assédio sexual que levou à suspensão do prémio.

,Prêmio Nobel de Literatura
Foto
Sara Danius, aqui em 2017, foi a primeira mulher a desempenhar o cargo de secretária permanente da Academia Sueca LUSA/JONAS EKSTROEMER

Sara Danius, antiga secretária permanente da Academia Sueca que atribui o Prémio Nobel da Literatura, morreu aos 57 anos de cancro da mama, anunciou a agência sueca de notícias neste sábado, citada pela Reuters. Danius, lembrou a agência sueca TT, foi a primeira mulher a ocupar o posto a quem compete o anúncio do Nobel e abandonou o cargo no ano passado na sequência de uma polémica causada por vários casos de assédio sexual envolvendo o marido de Katarina Frostenson, um dos membros do comité que atribuía o Nobel.

O fotógrafo e dramaturgo franco-sueco Jean-Claude Arnault acabou condenado a uma pena de prisão de mais de dois anos por violação, tendo também sido denunciado por ter promovido fugas de informação com os nomes de alguns vencedores​. Na sequência do escândalo, a academia do Nobel acabou por suspender no ano passado a atribuição do mais influente prémio de literatura, agora retomado com a atribuição esta semana de dois prémios aos escritores Olga Tokarczuk e Peter Handke, relativos aos anos de 2018 e 2019, respectivamente. A Academia sofreu uma profunda remodelação de procedimentos, como se viu esta quinta-feira nas mudanças introduzidas na cerimónia de anúncio do Nobel.

Sara Danius, que liderou a Academia Sueca entre 2015 e 2018 e era professora de Literatura na Universidade de Estocolmo, demitiu-se do cargo em 2018 devido a críticas sobre a forma como tinha gerido a mais grave crise da academia na sua história de 200 anos, instituição que é também responsável pela promoção da língua sueca. A antiga secretária abandonou a Academia Sueca em Fevereiro deste ano, lembra a Reuters.