Parque das Serras do Porto terá Grande Rota com percursos naturais de 60 quilómetros

O projecto Parque das Serras do Porto integra uma equipa técnica intermunicipal com elementos de três câmaras, sendo coordenado pela arquitecta Teresa Andresen.

Foto
Marco Duarte

A Associação Parque das Serras do Porto, que junta os concelhos de Gondomar, Paredes e Valongo, vai lançar um concurso para criar uma Grande Rota de percursos em área natural, num trajecto que se estende por 60 quilómetros.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Câmara de Gondomar, Marco Martins, que este ano preside à Associação Parque das Serras do Porto, contou que o investimento estimado neste projecto ronda os 300 mil euros e que o concurso será lançado até ao final do ano.

“O objectivo é criar uma rede de 60 quilómetros de percursos, aproveitando os já existentes, mas fazendo reparações ao nível do pavimento e outros aspectos. Também está programado colocar sinalização e sinalética uniformes. Chama-se “Grande Rota” e já candidatámos a ideia a uma linha de financiamento do Turismo de Portugal, mas se a candidatura não for aprovada, já decidimos que o investimento avança suportado pela associação e pelos municípios”, disse Marco Martins.

Classificado como Paisagem Protegida, o Parque das Serras do Porto é um território de cerca de 6.000 hectares, que abrange as serras de Santa Justa, Pias, Castiçal, Flores, Santa Iria e Banjas, tratando-se de um projecto que conta com o alto patrocínio do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Também conhecido por “Pulmão Verde” da Área Metropolitana do Porto, o projecto de constituição deste parque foi aprovado em reunião do Conselho Metropolitano do Porto (CmP) em Abril de 2015, enquanto em Junho do mesmo ano, no “cruzamento” dos trilhos que ligam Gondomar, Valongo e Paredes, em plena serra, foi assinado um protocolo de cooperação.

O projecto Parque das Serras do Porto integra uma equipa técnica intermunicipal com elementos de três câmaras, sendo coordenado pela arquitecta Teresa Andresen que elaborou o Plano de Gestão do Parque das Serras do Porto, o qual foi aprovado em Novembro do ano passado.

Marco Martins comentou, ainda, que “o parque tem tido cada vez mais procura, mais turistas e visitantes que chegam de forma organizada por operadores ou de forma isolada”, razão pela qual a Associação Parque das Serras do Porto “sente necessidade de reforçar a vigilância do parque” estando, acrescentou o autarca, “a ser ultimados protocolos com autoridades de segurança”.

“Estamos a projectar uma rede de equipamentos públicos de apoio”, disse Marco Martins, exemplificando que em Gondomar está a ser transformada em centro de acolhimento com balneários, chuveiros e condições para pernoita, uma antiga escola primária localizada em Beloi, freguesia de São Pedro da Cova.