Em actualização

Sindicato emite pré-aviso de greve para a STCP

STTAMP quer sentar a administracção da empresa, agora presidida por Manuel Queiró, à mesa das negociações, para resolver questões pendentes. Sem diálogo, pode haver greve de 24 de Outubro até ao final do ano.

Protesto de trabalhadores aquando da assinatura do acordo entre Governo e autarquias
Foto
Protesto de trabalhadores aquando da assinatura do acordo entre Governo e autarquias Goncalo Dias

Um dos sindicatos da STCP, o Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes da Área Metropolitana do Porto, emitiu um pré-aviso de greve, com efeitos entre 24 de Outubro e 31 de Dezembro, numa tentativa de pressionar a nova administração da empresa, presidida por Manuel Queiró, a negociar um caderno reivindicativo.

Numa nota enviada à imprensa, o STTAMP explica que não tendo obtido resposta “aos diversos ofícios” reportando os problemas vividos na empresa e as preocupações demonstradas pelos trabalhadores, “vê-se na obrigação de emitir um pré-aviso de greve (…) com o intuito de agilizar a resolução destas matérias.

Segundo este sindicato, em causa está “a não apresentação de soluções relativamente à organização dos tempos de trabalho, “a recusa na aplicação dos descansos ao domingo de três em três semanas para os guarda-freio”, a “recusa na aplicação dos descansos fixos ao sábado para os motoristas”, a “falta de enquadramento de carreiras e Sistema de Evolução Profissional”, a “falta de enquadramento das carreiras profissionais dos cinco trabalhadores oficinais, a “não resolução da situação dos trabalhadores em regime de mobilidade interna, a “ausência de resposta quanto ao processo de adesão ao Acordo de Empresa dos Quadros Técnicos”, entre outros assuntos.

O presidente deste sindicato, Zeferino Silva, explicou ao PÚBLICO que estas matérias vinham sendo negociadas com a administração, enquanto esta foi presidida por Paulo de Azevedo, mas também já foram colocadas, por escrito, à equipa que, desde o mês passado, passou a ser liderada por Manuel Queiró. Sem resposta, o STTAMP avança para um pré-aviso com um primeiro intuito - o de forçar uma reunião de onde possa sair algum compromisso e, pelo menos, a calendarização da concretização de algumas destas reivindicações.

O PÚBLICO pediu, e aguarda ainda, uma reacção da STCP a este pré-aviso de greve, o primeiro desde a assinatura do memorando de entendimento para a municipalização desta empresa pública, assinado entre o Governo e seis municípios do Grande Porto no final de Agosto. O processo só terá efeitos, na melhor das hipóteses, em Janeiro, altura em que a posse desta transportadora passará para as mãos destas câmaras, com a do Porto à cabeça.