Ministério da Saúde abre 1830 vagas para formar novos médicos

Mapas de acesso à especialidade dão 1297 vagas para a área hospitalar e quase 500 para medicina geral e familiar. Novos internos começam a fazer formação em Janeiro.

Médico
Foto
Nelson Garrido

O Ministério da Saúde divulgou esta sexta-feira o mapa de vagas para formação de médicos na especialidade. Estão disponíveis um total de 1830 vagas, o que transforma este no maior mapa de sempre. Desde 2015 que nem todos os médicos que terminam a formação geral têm acesso a um lugar para fazer uma especialidade

O mapa agora divulgado pela Administração Central do Sistema de Saúde dá 1297 vagas para a área hospitalar e quase 500 para medicina geral e familiar.

Dentro da área hospitalar, a anestesiologia recebe 79 vagas, pediatria 99 e ginecologia/obstetrícia 48. Estas são três das especialidades em que mais faltam médicos no Serviço Nacional de Saúde. A falta de anestesistas tem mesmo limitado o número de cirurgias realizadas no SNS. Assim como limitou, juntamente com a falta de pediatras e ginecologistas obstetras, o funcionamento das urgências de várias maternidades, nomeadamente a de Portimão e as quatro grandes unidades de Lisboa (Alfredo da Costa, Santa Maria, São Francisco Xavier e Amadora-Sintra).

Uma das áreas que mais vagas tem na área hospitalar é a medicina interna, com 237. 

Entre as áreas mais procuradas pelos jovens médicos para se especializarem, destaca-se oftalmologia com 20 vagas, dermatologia com 11, cirurgia cardíaca com três e medicina desportiva com uma.

A medicina geral e familiar continua a ser a especialidade que sozinha tem o maior número de vagas – 491. Tem sido promessa dos últimos governos, incluindo o actual, dar um médico de família a todos os portugueses, mas a legislatura vai terminar sem que essa meta tenha sido cumprida.

De acordo com os dados disponíveis no Portal do SNS a 30 de Setembro havia pouco mais de 623 mil utentes sem médico de família atribuído. O mesmo portal diz que são precisos 404 médicos. Há neste momento 347 médicos de família com mais de 66 anos. Cada clínico demora entre quatro a seis anos a formar, dependendo da especialidade.

Saúde pública abre 36 vagas para formação e medicina legal seis.